L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Yusuf Estes, Ex-cristão e Capelão de Prisão Federal (parte 3 de 5)

Classificação:   
Tamanho da fonte:

Descrição: Yusuf Estes, agora um pregador ativo do Islã, de forma bem-humorada nos conta sua história de como entrou no Islã.  Parte 3: Pregando o Cristianismo para um padre.

  • Por Yusuf Estes
  • Publicado em 13 Dec 2010
  • Última modificação em 13 Dec 2010
  • Impresso: 279
  • Visualizado: 7934 (média diária: 3)
  • Classificação: 4 de 5
  • Classificado por: 1
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

Conhecimento Chocante - Muçulmanos Acreditam na Bíblia?

Um dia na primavera de 1991 vim a saber que os muçulmanos acreditavam na Bíblia.  Estava chocado.  Como isso era possível?  Mas não era tudo. Eles acreditavam em Jesus como:

* Um verdadeiro mensageiro de Deus;

* Profeta de Deus;

* Nascimento milagroso sem intervenção humana;

* Era o “Cristo” ou Messias como vaticinado na Bíblia;

* Ele está com Deus agora e o mais importante;

* Voltará nos Últimos Dias para liderar os crentes contra o “Anticristo”.

Depois de “ganhar almas para o Senhor por Jesus” dia após dia, seria uma grande façanha para mim pegar um desses muçulmanos e “convertê-lo” ao Cristianismo.

Xícara de Chá – Discussão de Crenças

Perguntei se ele gostava de chá e ele disse que sim.  Então fomos para uma pequena loja no mall para sentar e conversar sobre meu assunto favorito: crenças.  Enquanto sentamos naquela pequena cafeteria por horas conversando (eu falei a maior parte do tempo) vim a saber que ele era muito agradável, quieto e até um pouco tímido.  Ele ouvia atentamente a cada palavra que eu tinha a dizer e não interrompeu uma única vez.  Gostei do jeito desse homem e pensei que ele tinha potencial para se tornar um bom cristão. - Pouco sabia eu do curso dos eventos que estavam prestes a se revelar na frente dos meus olhos.

Concordei em Fazer Negócio

Primeiro, concordei com meu pai que devíamos fazer negócios com esse homem e até encorajei a idéia dele viajar comigo em minha viagem de negócios na região norte do Texas.  Dia após dia, cavalgávamos juntos e discutíamos vários assuntos pertencentes às diferenças crenças que as pessoas têm.  E no processo eu pude, claro, inserir alguns dos meus programas de adoração e louvor favoritos do rádio para ajudar a levar a mensagem a esse pobre indivíduo.  Conversamos sobre o conceito de Deus; o significado da vida; o propósito da criação; os profetas e suas missões proféticas e como Deus revela Sua Vontade à humanidade.  Também compartilhamos muitas experiências e idéias pessoais.

Mudou-se para Nossa Casa

Um dia eu soube que meu amigo Mohamed ia sair da casa que compartilhava com um amigo e iria morar na mesquita por um tempo.  Fui até o meu pai e perguntei a ele se podíamos convidar Mohamed para vir para nossa grande casa no interior e ficar lá conosco.  Afinal, podíamos dividir um pouco do trabalho e algumas despesas, e ele estaria perto quando estivéssemos prontos para viajar.  Meu pai concordou e Mohamed se mudou.

Ministério & Pregação Contínuos

Claro que eu continuava a encontrar tempo para visitar meus amigos pregadores e evangelistas no estado do Texas.  Um deles vivia na fronteira do Texas com o México e outro vivia próximo à fronteira de Oklahoma.  Um pregador gostava de carregar uma enorme cruz de madeira que era maior que um carro.  Ele a carregava sobre seus ombros arrastando a base no chão e ia pela estrada puxando essas duas vigas em forma de cruz.  As pessoas paravam seus carros, iam até ele e perguntavam o que estava acontecendo e ele lhes dava panfletos e livretos sobre o Cristianismo.

Pregador Tem um Infarto

Um dia meu amigo com a cruz teve um infarto e teve que ir ao Hospital dos Veteranos, no qual ficou por um bom tempo.  Costumava visitá-lo no hospital várias vezes na semana e levava Mohamed comigo com a esperança de que pudéssemos compartilhar no assunto de crenças e religiões.  Meu amigo não estava muito impressionado e era óbvio que não queria saber nada sobre o Islã.  Então um dia um homem que dividia o quarto com meu amigo entrou no quarto em sua cadeira de rodas.  Fui até ele, perguntei seu nome e ele disse que isso não importava e quando perguntei de onde ele era, ele disse que era do planeta Júpiter.  Pensei sobre o que ele disse e então comecei a me perguntar se estava na ala cardíaca ou psiquiátrica.

Homem na Cadeira de Rodas – Precisava do Senhor

Sabia que o homem estava solitário e deprimido e precisava de alguém em sua vida.  Então comecei a “testemunhar” para ele sobre o Senhor.  Li para ele o livro de Jonas no Velho Testamento.  Compartilhei a história do profeta Jonas que tinha sido enviado pelo Senhor para chamar seu povo para o caminho correto.  Jonas tinha deixado seu povo e escapado de barco para deixar sua cidade e foi para o mar. Veio uma tempestade, o barco quase virou e as pessoas a bordo jogaram Jonas para o lado do barco.  Uma baleia surgiu na superfície e pegou Jonas, engoliu-o e foi para o fundo do mar, onde ele ficou por 3 dias e 3 noites.  Por causa de Sua Misericórdia, Deus fez com que a baleia subisse à superfície e cuspisse Jonas para que ele retornasse em segurança para sua cidade em Nínive.   E a idéia era que nós não podemos fugir de nossos problemas porque sempre sabemos o que fizemos.  E mais, Deus sempre sabe o que fizemos.

Padre Católico

Depois de compartilhar essa história com o homem na cadeira de rodas, ele se desculpou comigo.  Disse que lamentava seu comportamento rude e que tinha passado por problemas realmente sérios recentemente.  Disse que queria confessar algo para mim.  Eu disse que não era um padre católico e não lidava com confissões.  Ele respondeu que sabia disso.  De fato, disse ele, “eu sou um padre católico.”

Estava chocado.  Estava tentando pregar o Cristianismo para um padre.  O que estava acontecendo?

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version