您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

あなたが要求した記事/ビデオはまだ存在していません。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Feitiçaria no Islã (parte 1 de 2): Pecados sérios que colocam em perigo a vida futura de uma pessoa

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: O que o Islã diz sobre feitiçaria?

  • Por Aisha Stacey (© 2016 IslamReligion.com)
  • Publicado em 25 Apr 2016
  • Última modificação em 25 Apr 2016
  • Impresso: 13
  • Visualizado: 9913 (média diária: 9)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

MagicInIslam1.jpgA posição do Islã sobre feitiçaria tanto para quem pratica a magia quanto para aquele que acredita na feitiçaria pode ser resumida em uma frase.  A feitiçaria é absolutamente proibida.  Entretanto, vamos tentar descobrir por que o Islã a proíbe.  Lembrando que o Islã é um estilo de vida, não apenas um conjunto de crenças que as pessoas podem ou não praticar, constatamos que a feitiçaria é proibida por causa do dano que pode causar a indivíduos, famílias e à comunidade.

Desde o início dos tempos os seres humanos foram fascinados pela feitiçaria em todas as suas formas.  Ficaram admirados e acreditaram em mitos e, muitas vezes, não se deram conta dos perigos inerentes à feitiçaria.  A feitiçaria é conhecida em árabe como sihr e é um dos truques que Satanás usa para desencaminhar a humanidade.  É por essa razão que o Islã alerta contra a magia.  Deus adverte sobre ela no Alcorão.

"Os homens aprendiam o que lhes era prejudicial e não o que lhes era benéfico, sabendo que aquele que assim agisse, jamais participaria da ventura da outra vida. A que vil preço se venderam! Se soubessem..." (Alcorão 2:102)

A feitiçaria é realizada com a ajuda do Jinn[1], cuja ajuda é obtida quando o feiticeiro ou feiticeira comete atos de descrença e adora o Jinn e Satanás.  Dessa forma adotam o Jinn e Satanás como seus senhores, além de Deus.  Uma vez que o Jinn esteja satisfeito com o feiticeiro ou feiticeira, farão o que lhe for pedido.  O renomado sábio muçulmano do século 20, sheikh Ibn Baz, que Deus tenha misericórdia dele, disse: "Sihr (feitiçaria) é uma palavra que se refere a algo oculto.  É real e existem tipos de feitiçaria que podem afetar pessoas física e psicologicamente, de modo que fiquem doentes e morram ou maridos e esposas sejam separados.  É uma ação demoníaca, em grande parte só alcançada por meio de associar outros a Deus e com a aproximação subalternos de Satanás". 

O profeta Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, aconselhou seus seguidores a evitarem os sete pecados destrutivos.  "Fazer qualquer um ou qualquer coisa parceiro com Deus; praticar feitiçaria; matar um ser vivo sem justificativa e cuja vida foi declarada sagrada por Allah; praticar usura; se apropriar indevidamente da propriedade de um órfão; fugir em uma batalha; e caluniar mulheres castas, inocentes e crentes."[2]

Durante a vida do profeta Muhammad uma das formas mais populares de feitiçaria era amarrar nós em uma corda e então recitar encantamentos sobre os nós, enfeitiçando ou prejudicando outra pessoa.  Isso é mencionado na segunda parte do último capítulo do Alcorão, onde somos encorajados a buscar refúgio desse mal.  "Do mal dos que praticam ciências ocultas." (Alcorão 113:4)

Essa forma de feitiçaria era feita ao profeta Muhammad, mas Deus não permitiu que isso fizesse qualquer mal a ele. Um homem mau lançou um feitiço sobre o profeta Muhammad usando um cabelo que foi pego em uma escova junto com algumas fibras de uma tamareira. Depois que o feitiço foi lançado o profeta começou a imaginar que tinha tido relações sexuais com uma de suas esposas, quando de fato não tinha tido. O efeito do feitiço foi limitado e não interferiu de forma alguma com sua responsabilidade de transmitir a mensagem divina.  Sua amada esposa Aisha narra que: "Um dia ele (profeta Muhammad) suplicou a Deus e então disse: "Sabe que Deus me mostrou onde está minha cura?  Dois homens vieram até mim e um deles se sentou em minha cabeça e outro aos meus pés.  Um disse ao outro: "O que está afligindo o homem?" Ele disse: "Ele foi enfeitiçado." O outro disse: "Quem o enfeitiçou?" Ele disse: "Labeed ibn al-A’sam." Ele disse: "Com o que?" O outro disse: "Com uma escova, um cabelo que foi pego nela e a fibra de uma tamareira macho."  E ele disse: "Onde ela está?" O outro disse: "No poço de Dharwaan.’" Ele foi até o poço, voltou e disse: "Suas tâmaras são como as cabeças de demônios." Eu disse: "Você a tirou?" Ele disse: "Não.  Deus me curou e temo que isso possa trazer o mal sobre as pessoas." Então o poço foi fechado.  [3]  O profeta Muhammad alerta novamente a seus seguidores sobre os perigos da mágica (feitiçaria ou bruxaria) quando afirma que: "Quem amarrar um nó e disser encantamentos sobre ele cometeu feitiçaria e quem cometer feitiçaria associou parceiros a Deus e quem se apoia em algo (além de Deus) será derrubado por isso."[4]

Outra forma de feitiçaria extremamente popular hoje em dia é ouvir previsões feitas por videntes e consultar horóscopos.  Vale lembrar o que o profeta Muhammad disse sobre essas formas de feitiçaria: "Quem for a um adivinho e lhe perguntar sobre qualquer coisa não terá suas orações aceitas por quarenta dias." [5]  Isso não significa que uma pessoa esteja isenta da oração, mas que não receberá nenhuma recompensa por sua oração.

 "Quem for a um vidente ou adivinho e acreditar no que ele disser, deixou de acreditar no que foi revelado a Muhammad."[6]

 "Não pertence a nós quem acredita em bons ou maus presságios; pede a outros que deem suas opiniões com base em boa ou má sorte baseado no movimento de objetos terrenos; busca adivinhação ou pratica feitiçaria ou que permite que façam feitiçaria em seu nome.  Quem for a um vidente ou adivinho e acreditar no que ele disser, deixou de acreditar no que foi revelado a Muhammad."[7]

Feitiçaria, sihr em árabe, que inclui feitiçaria, vidência de qualquer tipo, astrologia ou adivinhação é estritamente proibido no Islã.  Em todos os casos envolve lidar com o oculto e, na maioria dos casos, envolve atribuir parceiros a Deus.  São ambos pecados muito sérios e envolverão, no mínimo, a pessoa que pratica ou acredita em feitiçaria, em comportamento que pode levar à sua queda eterna.

No segundo artigo discutiremos curas para feitiçaria.  O que fazer se alguém é afetado pela feitiçaria ou se quiser se proteger dos maus efeitos da feitiçaria.  



Notas de rodapé:

[1]Para aprender mais sobre os Jinn, veja: http://www.islamreligion.com/articles/669/viewall/)

[2]Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

[3]Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

[4] An Nasa'i

[5] Saheeh Muslim

[6] Abu Dawood

[7]Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim.

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version