您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

あなたが要求した記事/ビデオはまだ存在していません。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Controle da raiva no Islã (parte 1 de 2): Controlar a raiva é um sinal de virtude

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Surtos de raiva não fazem parte dos ensinamentos do Islã.  A raiva deve ser administrada de maneira aceitável.

  • Por Aisha Stacey (© 2015 IslamReligion.com)
  • Publicado em 07 Dec 2015
  • Última modificação em 31 Jan 2016
  • Impresso: 17
  • Visualizado: 5403 (média diária: 4)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

AngerManagement1.jpgEmbora a raiva seja um sentimento natural, pode ter efeitos negativos naqueles que permitem que ela os controle e nos que os rodeiam.  A raiva pode destruir relacionamentos, a saúde, os bens e os meios de sustento.  A raiva sem controle é uma das ferramentas de Satanás e pode levar a muitos males e tragédias.  Por essa razão o Islã tem muito a dizer sobre a emoção da raiva.

Como a raiva está geralmente associada com "respostas de luta ou fuga", é difícil separar uma ação feita em legítima defesa (ou para proteger bens ou famílias) daquela feita movida pela raiva sem controle.   É normal sentir raiva, mas não é aceitável quando uma pessoa permite que ela a controle e a leve a agir de maneira inaceitável, às vezes levando até ao assassinato e ao caos.  A história de um evento da vida de um dos companheiros do profeta Muhammad, seu genro Ali, demonstra a diferença. 

Ali ibn Abi Talib uma vez estava lutando em uma guerra, quando o líder do exército não-muçulmano o atacou.  Durante o confronto Ali conseguiu dominá-lo e estava prestes a matá-lo, quando seu oponente cuspiu no rosto de Ali.  Ali imediatamente se afastou e deixou o homem em paz.  O homem disse: "Você podia ter me matado. Por que parou?"? Ali respondeu: "Não tenho animosidade pessoal em relação a você.  Estava lutando por causa de sua descrença e rebelião contra Deus.  Se o tivesse matado depois de ter cuspido em meu rosto, teria sido por causa de minha raiva pessoal e desejo de vingança, e não desejo me vingar."

O profeta uma vez perguntou aos seus companheiros: "Quem entre vocês se considera um homem forte?" Responderam: "Aquele que pode derrotar fulano em uma disputa de luta." Ele disse: "Não é assim. Um homem forte é aquele que controla sua raiva."[1]

Se uma pessoa não tem certeza sobre como agir em qualquer situação, como sempre só precisa olhar para o profeta Muhammad ou seus predecessores virtuosos para encontrar a melhor maneira de agir.  O profeta Muhammad era conhecido por ser um homem que podia controlar sua raiva mesmo sob circunstâncias extremas.  Um dia o profeta foi atacado por um beduíno que o segurou pela gola de seu manto, deixando marcas em seu pescoço que puderam ser vistas pelos companheiros dele.  O beduíno exigia que o profeta Muhammad desse a ele algum tipo de riqueza.  O profeta (que tinha todo o direito de estar com raiva) se voltou para ele, sorriu e então ordenou que ele (o beduíno) devia receber algo que o agradasse.[2]

Também podemos seguir o exemplo do profeta ao sentirmos raiva em nome de Deus, quando Seus direitos são violados.  Esse é o tipo de raiva controlada que é louvável.  O profeta Muhammad ficava zangado quando alguém lhe dizia que o imame estava afastando as pessoas da oração ao estendê-la demais, quando via uma cortina com imagens de criaturas vivas e quando lhe faziam perguntas que ele não gostava.  Entretanto, sua raiva era puramente em nome de Deus e ele não perdia o controle ou fazia as pessoas terem medo de estar em sua presença.

Quando o profeta Muhammad ficava zangado devido às palavras ou ações incorretas de alguém, nunca expressava com sua mão e usava somente palavras brandas.  Aqueles que não o conheciam bem nem suspeitavam que estivesse zangado.  Seus companheiros, entretanto, sabiam que estava zangado apenas em olhar para ele. Seu rosto ficava vermelho e sua testa cheia de suor.  Mas ao invés de expressar sua raiva abertamente ele ficava quieto, usando esses primeiros momentos para se controlar.  

Controlar a raiva é um sinal de virtude.  Uma pessoa virtuosa tem a promessa do Paraíso e uma das características da virtude é ser capaz de controlar a raiva.

"Emulai-vos em obter a indulgência do vosso Senhor e um Paraíso, cuja amplitude é igual à dos céus e da terra, preparado para os tementes. Que fazem caridade, tanto na prosperidade, como na adversidade; que reprimem a cólera; que indultam o próximo. Sabei que Deus aprecia os benfeitores. " (Alcorão 3:133-134)

"Tudo quanto vos foi concedido (até agora) é o efêmero gozo da vida terrena; no entanto, o que está junto a Deus é preferível e mais perdurável, para os fiéis que se encomendam a seu Senhor. São aqueles que as abstêm dos pecados graves e das obscenidades e que, embora zangados, sabem perdoar." (Alcorão 42:36 & 37)

A raiva é uma emoção humana muito natural. Também é muito poderosa e pode variar em intensidade de irritação leve a raiva e fúria intensas.  As últimas podem ser destrutivas.  Podem enfurecer uma pessoa, criando um desejo por revanche e levando-a a atacar o objeto de sua raiva.  Como é natural é impossível para uma pessoa evitá-la completamente.  Entretanto, é possível compreender a raiva e, assim, controlá-la.

Quando uma pessoa fica zangada, seja como resultado de provocação ou não, tem a opção de controlar sua raiva respondendo de uma maneira sancionada pelo Alcorão e pelas tradições do profeta Muhammad, ou pode ceder à onda de emoção e se comportar de uma forma que desagrada a Deus, mas alegra a Satanás.

Em uma era em que parece que o Islã está sendo denegrido no mundo todo, muitos muçulmanos se deixam levar pela raiva.  Sim, magoa ter nossa religião e nosso amado profeta abusados e vilificados, mas como crentes não devemos deixar nossas emoções ditarem nossas ações.  As ações devem ser baseadas no conhecimento e sabedoria divinos.  Não podemos parar completamente aqueles que mancham o Islã com suas mentiras e engodos, mas podemos nos controlar, educar as massas e adotar outros passos positivos legislados pelo Islã. 

Na parte 2 examinaremos exemplos de como nos comportarmos quando zangados, tirados do Alcorão e das tradições do profeta Muhammad.



Notas de rodapé:

[1]Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

[2]Ibid.

 

 

Controle da raiva no Islã (parte 2 de 2): o Islã oferece vários métodos para superar a raiva e a fúria

Classificação:   
Tamanho da fonte:

Descrição: Como nos comportarmos quando zangados, com exemplos tirados do Alcorão e das tradições do profeta Muhammad.

  • Por Aisha Stacey (© 2015 IslamReligion.com)
  • Publicado em 14 Dec 2015
  • Última modificação em 14 Dec 2015
  • Impresso: 12
  • Visualizado: 5474 (média diária: 4)
  • Classificação: 3 de 5
  • Classificado por: 1
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

AngerManagement2.jpgA raiva é capaz de destruir vidas e relacionamentos e o profeta Muhammad a chamava de um carvão quente no coração de um descendente de Adão.[1]  Não existe método comprovado de eliminar a raiva completamente, porque é uma emoção humana natural.  O Islã, entretanto, nos dá muitos exemplos de como controlar a raiva e canalizá-la para ações aceitáveis.  Também existem vantagens em seguir as diretrizes estabelecidas no Islã.  Agrada a Deus e pessoa que controla sua raiva é recompensada.  O profeta disse: "Se alguém suprimir a raiva quando estiver em posição de extravasá-la, Deus, o exaltado, o convocará no Dia da Ressurreição e pedirá que escolha das recompensas oferecidas."[2]  Ele também disse: "Ninguém engole nada mais excelente aos olhos de Deus, que é Grande e Glorioso, do que a raiva, buscando agradar a Deus."[3]

Uma vez um homem veio até o profeta e disse: "Mensageiro de Deus, ensine-me algumas palavras com as quais eu possa viver.  Não as faça difíceis para mim, no caso de me esquecer."  Ele disse: "Não fique zangado."[4] Além disso, nas tradições do profeta somos capazes de encontrar muitos exemplos de como nos comportarmos quando a raiva ameaça nos engolfar ou explodir.   Ele disse: "Se algum de vocês ficar zangado enquanto estiver de pé, sente-se.  Se a raiva passar, bem, mas se não passar, deite-se".[5] O profeta também recomendou que fazer a ablução era um método aceitável de controlar a raiva.  Ele disse: "A raiva vem de Satanás. Satanás foi criado do fogo e o fogo é extinto somente com água. Então, quando algum de vocês estiver zangado, deve realizar a ablução".[6]

Além disso, o profeta Muhammad sugeriu que quando um crente estiver zangado deve tentar outros métodos para se livrar da influência de Satanás.  Uma vez aconselhou um homem que estava zangado e brigando a buscar refúgio em Deus da influência de Satanás.  O profeta Muhammad disse a seus companheiros: "Conheço palavras que se forem ditas a raiva passará. Se disser "Busco refúgio em Allah de Satanás", o que sente passará."[7]

O imam Ahmad registrou que o profeta Muhammad também aconselhou que "Se algum de vocês ficar zangado, que fique em silêncio."  Se uma pessoa estiver tentando ficar em silêncio, obviamente restringirá sua habilidade de lutar ou pronunciar obscenidades e palavras ríspidas.  Em outra tradição o profeta Muhammad ofereceu uma sequência de ações para dissipar a raiva.  "Se algum de vocês ficar zangado enquanto estiver de pé, sente-se. Se a raiva passar, bem, mas se não passar, deite-se".[8]

Dessa forma constatamos que o Islã oferece várias maneiras de controlar a emoção muito natural da raiva.  Para começar, a pessoa precisa mudar de posição.  Se estiver de pé, deve se sentar. Se já estiver sentada, deve deitar.  Uma pessoa zangada pode fazer ablução e oferecer duas ou mais unidades extras de oração. Pode buscar refúgio em Deus dos efeitos da raiva que Satanás tem sobre ela e, finalmente, pode tentar focar nas recompensas que Deus oferece aos que são pacientes, misericordiosos e inclinados a perdoar, ao invés de guardar mágoa.

O Alcorão define as pessoas virtuosas como:

"Que fazem caridade, tanto na prosperidade, como na adversidade; que reprimem a cólera; que indultam o próximo. Sabei que Deus aprecia os benfeitores. " (Alcorão 3:134)

O próprio profeta Muhammad demonstrava enorme controle e paciência quando era insultado, menosprezado e espancado.  Como sua amada esposa Aisha dizia: O caráter dele era apenas (um reflexo) do Alcorão.[9]

Em uma época muito difícil de sua vida o profeta Muhammad foi à cidade de Taif esperando encontrar pessoas que ouviriam e apoiariam sua mensagem para a humanidade.  Ao invés de apoio, encontrou homens, mulheres e crianças que o insultaram e expulsaram da cidade.  Com suas sandálias cobertas de sangue e o coração cheio de tristeza, orou a Deus pedindo ajuda.  Em resposta, o anjo das montanhas desceu e pediu a permissão do profeta para fazer as montanhas ao redor de Taif desmoronarem, matando todos os habitantes da cidade.  Apesar de por toda sua dor e sofrimento, ele ter todo o direito de ficar zangado, a resposta do profeta foi: "Não, porque espero que Allah fará de sua descendência um povo que adorará Deus somente, sem associar nada a Ele."[10]

O controle da raiva no Islã pode ser resumido como se segue:

·       Buscar refúgio em Deus das tramas de Satanás.

·       Fazer ablução, porque a água extingue o fogo.

·       Mudar de posição. Se estiver de pé, sente. Se estiver sentado, deite.  Uma pessoa deitada não pode se envolver em brigas ou destruir propriedade. 

·       Retire-se da situação.  Isso pode ser equiparado ao nosso equivalente moderno, dar um tempo. 

·       Fique em silêncio, palavras ditas na hora da raiva não podem ser retomadas. 



Notas de rodapé:

[1] At Tirmidhi

[2] Abu Dawood

[3] At Tirmidhi

[4] Saheeh Al-Bukhari

[5] At Tirmidhi

[6] Abu Dawood

[7] Saheeh Al-Bukhari

[8] Imam Ahmad

[9] Saheeh Muslim

[10] Saheeh Al-Bukhari

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version