L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Quero ser muçulmano, mas... Mitos sobre se converter ao Islã (parte 2 de 3)

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Mais sobre mitos que impedem de se converter ao Islã.

  • Por Aisha Stacey (© 2014 IslamReligion.com)
  • Publicado em 12 May 2014
  • Última modificação em 12 May 2014
  • Impresso: 110
  • Visualizado: 36092 (média diária: 18)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

IwantToBeMuslimPart2.jpgNão há divindade exceto Deus.  É uma afirmação simples que deve facilitar a conversão ao Islã.  Existe um único Deus e uma única religião, nada pode ser mais descomplicado.  Entretanto, como discutimos no artigo anterior, sempre que uma pessoa percebe a verdade e quer se tornar muçulmana, Satanás introduz a palavra mas.  Quero ser muçulmano...MAS.  Mas não estou pronto.  Mas não falo árabe ou não quero mudar meu nome.  Hoje discutiremos mais mitos que impedem as pessoas de se converterem ao Islã.

3.     Quero ser muçulmano, mas não quero ser circuncisado.

O profeta Muhammad disse que toda criança nasce em estado de fitrah, com o entendimento correto de Deus,[1]  e as tradições do profeta Muhammad nos contam que as condições relacionadas à fitrah (estado natural de ser) são cinco.

"Cinco coisas são parte da fitrah: raspar o pelo púbico, a circuncisão, aparar o bigode, remover os pelos das axilas e cortar as unhas.” [2] Acredita-se que seja a maneira antiga, a maneira natural, seguida por todos os profetas e ordenada aos crentes pelas leis que trouxeram.[3]

A maioria dos eruditos muçulmanos concorda que a circuncisão é obrigatória para os homens, se não temerem que possa prejudicá-los.  Ao avaliar o nível de dano um homem deve olhar para o Alcorão e os ensinamentos autênticos do profeta Muhammad em busca de orientação.  Se um homem não puder ser circuncisado devido ao temor de ferimentos ou qualquer outra razão válida que possa tornar sua vida miserável, a obrigação é suspensa.  Não é permissível que isso se torne uma barreira que previna o homem de aceitar o Islã[4].  Em outras palavras, não é uma condição para se tornar muçulmano.  Também não previne um homem de liderar as orações.[5]

Não há exigência para a circuncisão feminina no Islã.

4.     Quero ser muçulmano, mas sou branco.

O Islã é a religião que foi revelada para todos os povos, em todos os lugares e em todas as épocas.  Não foi revelada para uma raça ou etnia em particular.  É um modo completo de vida baseado nos ensinamentos encontrados no Alcorão e nas tradições autênticas do profeta Muhammad.  Embora o Alcorão tenha sido revelado na língua árabe e o profeta Muhammad fosse árabe, seria errado supor que todos os muçulmanos são árabes ou que todos os árabes são muçulmanos.  De fato a vasta maioria dos 1,4 bilhões de muçulmanos não são árabes.

Não existem requisitos raciais ou étnicos para ser muçulmano.  Em seu sermão final o profeta Muhammad reiterou esse fato muito suscintamente.

 “Toda a humanidade descende de Adão e Eva. Um árabe não é superior a um não-árabe, nem um não-árabe tem qualquer superioridade sobre um árabe; o branco não tem superioridade sobre o negro, nem o negro é superior ao branco; ninguém é superior, exceto pela piedade e boas ações. Saiba que todo muçulmano é irmão de outro muçulmano e que os muçulmanos constituem uma irmandade.” [6]

“Ó humanos! Nós vos criamos de um homem e de uma mulher, e vos fizemos como nações e tribos, de modo que vos conheçais uns aos outros.”  (Alcorão 49:13)

5.     Quero ser muçulmano, mas não sei nada sobre o Islã.

Não há necessidade de saber muito sobre o Islã para se tornar muçulmano.  É suficiente saber o significado do testemunho e os seis pilares da fé.  Uma vez que uma pessoa abraça o Islã, há tempo para aprender sobre a religião.  Não existe necessidade de pressa e de ser sobrecarregado.  Faça as coisas devagar, mas siga em frente de maneira constante em seu próprio ritmo.  Há tempo para compreender a beleza inspiradora e a facilidade da religião e aprender sobre todos os profetas e mensageiros do Islã, incluindo o último profeta, Muhammad.  Um muçulmano nunca para de aprender. É um processo que continuará até a morte.

O profeta Muhammad disse: “O crente nunca terá o suficiente em ouvir coisas boas (buscando conhecimento) até que chegue ao Paraíso.”[7] 

6.     Quero ser muçulmano, mas cometi muitos pecados.

Quando uma pessoa diz o testemunho de fé (Shahada), Testemunho que não há divindade exceto Deus e que Muhammad é o mensageiro de Deus, fica como um recém-nascido.  Todos os pecados anteriores, não importa se grandes ou pequenos, são eliminados.  A lousa é limpa, livre de pecado, brilhante e branca. É um novo começo.

“Dize aos descrentes que, no caso de se arrependerem, ser-lhes-á perdoado o passado...” (Alcorão 8:38)

Não há compulsão para que alguém aceite a verdade do Islã.  Entretanto, se seu coração lhe diz que só existe um único Deus, não hesite.

“Não existe compulsão na religião,  Porque já se destacou a verdade do erro.  Quem renegar o sedutor e crer em Deus, ter-se-á apegado a um firme e inquebrantável sustentáculo,  E Deus é suficiente como guardião” (Alcorão 2:256)



Notas de rodapé:

[1] Saheeh Muslim

[2]Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

[3]AS-Shawkaani, Nayl al-Awtaar, Baab Sunan al-Fitrah

[4] Fataawa al-Lajnah al-Daa’imah, 5/115, Al-Ijaabaat ‘ala As’ilah al-Jaaliyaaat, 1/3,4

 

[6]O texto do Sermão da Despedida pode ser encontrado em Saheeh Al-Bukhari e Saheeh Muslim e nos livros de At Tirmidhi e Imam Ahmad.

[7] At Tirmidhi

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version