El artículo / video que has solicitado no existe todavía.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

El artículo / video que has solicitado no existe todavía.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

A História de Abraão (parte 3 de 7): O Iconoclasta

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Abraão destrói os ídolos de seu povo para provar-lhes a futilidade de sua adoração.

  • Por IslamReligion.com
  • Publicado em 23 Nov 2009
  • Última modificação em 23 Nov 2009
  • Impresso: 583
  • Visualizado: 105023 (média diária: 29)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

Veio o momento no qual a pregação tinha que estar acompanhada de ação física.  Abraão planejou um ataque corajoso e decisivo na idolatria.  O relato corânico é ligeiramente diferente do mencionado nas tradições judaico-cristãs, porque dizem que Abraão destruiu os ídolos pessoais de seu pai.[1] O Alcorão nos diz que ele destruiu os ídolos de seu povo, mantidos em um altar religioso.  Abraão idealizou um plano envolvendo os ídolos:

“Por Deus que tenho um plano para os vossos ídolos, logo que tiverdes partido.” (Alcorão 21:57)

Era a época de um festival religioso, talvez dedicado a Sin, razão pela qual tinham deixado a cidade.  Abraão foi convidado para participar das festividades, mas apresentou uma desculpa:

“Ele olhou para as estrelas. E disse: Sinto-me doente.”

Então, quando partiram sem ele, veio sua oportunidade.  Como o templo estava deserto, Abraão foi até lá e se aproximou dos ídolos de madeira revestidos em ouro, que tinham à sua frente refeições elaboradas deixadas pelos sacerdotes.  Abraão ironizou-os em descrença:

“Então se voltou para seus deuses e disse: Não comerão? O que os incomoda que não falam?”

O que teria iludido um homem para que adorasse deuses que ele mesmo esculpiu?

“Então os atacou, batendo-lhes com sua mão direita.”

O Alcorão nos diz:

“Ele os reduziu a fragmentos, todos exceto o mais importante deles.”

Quando os sacerdotes do templo retornaram ficaram chocados ao ver o sacrilégio, a destruição do templo.  Estavam se perguntando quem teria feito aquilo com seus ídolos quando alguém mencionou o nome de Abraão, explicando que ele costumava falar mal deles.  Quando o chamaram à sua presença, coube a Abraão mostrar-lhes sua tolice:

“Ele disse: Adorais o que vós mesmo esculpis quando Deus vos criou e ao que fazeis?”

Cada vez mais irados e sem disposição para ouvir sermões, foram direto ao ponto:

“Foste tu que fizeste isso com nossos deuses, Abraão?”

Mas Abraão havia deixado o maior dos ídolos intocado por uma razão:

“Ele disse: Mas esse, seu chefe, fez isso. Questione-os, se puderem falar!”

Quando Abraão os desafiou, ficaram confusos.  Culparam-se mutuamente por não terem protegido os ídolos e, sem encará-lo, disseram:

“De fato, sabeis que eles não falam!”

Então Abraão argumentou.

“Ele (Abraão) disse: Porventura, adorareis, em vez de Deus, quem não pode beneficiar-vos ou prejudicar-vos em nada? Que vergonha para vós e para os que adorais, em vez de Deus! Não raciocinais?”

Os acusadores se transformarem em acusados.  Foram acusados de inconsistência lógica, e não tiveram resposta para Abraão.  Como o raciocínio de Abraão era incontestável, sua resposta foi ódio e fúria, e condenaram Abraão a ser queimado vivo:

“Preparai para ele uma fogueira e arrojai-o no fogo!”

Todas as pessoas da cidade ajudaram a juntar a madeira para o fogo, até que se transformou no maior fogo que tinham visto.  O jovem Abraão se submeteu ao destino o Senhor dos Mundos escolheu para ele.  Não perdeu sua fé. Ao contrário, o teste o fez mais forte.  Abraão não vacilou em face de uma morte terrível apesar de sua pouca idade; ao contrário, suas últimas palavras antes de entrar no fogo foram:

“Deus é suficiente para mim e Ele é o melhor para cuidar de todos os assuntos.” (Saheeh Al-Bukhari)

Mais uma vez um exemplo de Abraão diante dos testes que enfrentou.  Sua crença no Verdadeiro Deus foi testada aqui, e ele provou que estava preparado para entregar sua existência ao chamado de Deus.  Sua crença foi evidenciada por sua ação.

Deus não queria que esse fosse o destino de Abraão, porque ele tinha uma grande missão à sua frente.  Ele seria o pai de alguns dos maiores profetas conhecidos da humanidade.  Deus salvou Abraão como um sinal para ele e também para seu povo.

“Nós (Deus) dissemos: Ó fogo, sê frescor e poupa Abraão! Intentaram conspirar contra ele, porém, fizemo-los perdedores.”

Assim, Abraão escapou do fogo ileso.  Tentaram buscar revanche para seus deuses, mas eles e seus ídolos foram humilhados no final.



Footnotes:

[1] The Talmud: Selections, H. Polano. (http://www.sacred-texts.com/jud/pol/index.htm).

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version