Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Anjos (parte 1 de 3): Criados para adorar e obedecer a Deus

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Os atributos dos anjos.

  • Por Aisha Stacey (© 2012 IslamReligion.com)
  • Publicado em 05 Mar 2012
  • Última modificação em 06 Jan 2013
  • Impresso: 427
  • Visualizado: 24559 (média diária: 8)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

Os muçulmanos crêem na existência de anjos.  No Islã existem seis pilares da fé: crença em Deus, o Único, o Criador e Sustentador de tudo que existe, crença em Seus anjos, Seus livros, Seus mensageiros, no Dia do Juízo e na predestinação divina.

Os anjos são parte do mundo invisível, mas os muçulmanos crêem firmemente em sua existência porque Deus e Seu mensageiro, Muhammad, nos forneceram informações sobre eles.  Os anjos foram criados por Deus para que O adorassem e obedecessem.

“Os anjos ... jamais desobedecem às ordens que recebem de Deus, mas executam tudo quanto lhes é imposto.” (Alcorão 66:6)

Deus criou os anjos a partir da luz.  O profeta Muhammad, que Deus o louve, disse: “Os anjos são criados a partir da luz” [1]. Não temos conhecimento de quando os anjos foram criados, entretanto, sabemos que foi antes da criação da humanidade.  O Alcorão explica que Deus contou aos anjos de Sua intenção de criar um vice-gerente na terra. (2:30)

Os muçulmanos sabem que os anjos são criações belas.  No Alcorão 53:6 Deus descreve os anjos como dhoo mirrah, que é um termo árabe que os sábios islâmicos renomados[2] definem como altos e de bela aparência.  O Alcorão (12:31) também descreve o profeta José como belo, como um anjo nobre.

Os anjos têm asas e podem ser muito grandes.  Não há nada no Alcorão ou nas tradições do profeta Muhammad que indique os anjos como bebês com asas ou com qualquer tipo de gênero.[3]   Sabemos, entretanto, que os anjos têm asas e alguns são muito grandes.  Das tradições do profeta Muhammad sabemos que o enorme tamanho do anjo Gabriel preenchia “o espaço entre o céu e a terra” [4] e que ele tinha 600 asas[5].

“Louvado seja Deus, Criador dos céus e da terra, Que fez dos anjos mensageiros, dotados de dois, três ou quatro pares de asas...” (Alcorão 35:1)

Também existem diferenças nas condições dos anjos.  Os anjos que estavam presentes na primeira batalha, a batalha de Badr, são conhecidos como os “melhores” entre os anjos.

“O anjo Gabriel veio ao profeta e perguntou: “Como você classifica as pessoas que estavam presentes em Badr?” Muhammad, que Deus o louve, respondeu: “São os melhores entre os muçulmanos”, ou algo semelhante. Gabriel então disse: “Da mesma forma é com os anjos que estavam presentes em Badr.””[6]

Os muçulmanos acreditam que os anjos não precisam comer ou beber.  Seu sustento é glorificar Deus e repetir as palavras “não há divindade, exceto Deus.” (Alcorão 21:20)

“. . . “...aqueles que estão na presença do teu Senhor glorificam-No noite e dia, sem contudo se enfadarem.” (Alcorão 41:38)

A história do profeta Abraão no Alcorão também indica que os anjos não têm necessidade de alimento.  Quando anjos, em forma de homens, visitaram o profeta Abraão para dar-lhe as boas vindas do nascimento de um filho, ele ofereceu um bezerro em sua honra.  Recusaram-se a comer e ficaram muito temerosos. Foi quando revelaram serem anjos. (Alcorão 51:26-28)

Existem muitos anjos, mas somente Deus sabe o número exato.  Durante sua ascensão ao céu o profeta Muhammad visitou a Casa de Adoração, conhecida como “a casa muito frequentada” ou, em árabe, al Bayt al-Mamoor, o equivalente celestial da Caaba.[7]

Então fui levado à “Casa Muito Frequentada”: todos os dias setenta mil anjos a visitavam e depois a deixavam, nunca retornando. E, então, vinha outro grupo depois desse.” [8]

O profeta Muhammad também nos informou que no Dia do Juízo o inferno será apresentado às pessoas.  Ele disse: “O Inferno será trazido naquele Dia através de setenta mil cordas, cada uma sendo sustentada por setenta mil anjos.”[9]

Os anjos têm grandes poderes.  Têm a capacidade de assumir formas diferentes.  Apareceram perante o profeta Abraão e o profeta Lot como homens.  O anjo Gabriel apareceu perante Maria, a mãe de Jesus, como um homem (Alcorão 19:17) e perante o profeta Muhammad como um homem, cujas roupas eram extremamente brancas e cujo cabelo era extremamente preto.[10]

Os anjos são fortes.  Quatro anjos carregam o trono de Deus e no Dia do Juízo seu número aumentará para oito.  Entre as tradições do profeta Muhammad está a narração que descreve um dos anjos que carrega o trono de Deus.  “A distância entre os lóbulos de suas orelhas e seus ombros é equivalente a uma viagem de setecentos anos.”[11]

Os anjos executam vários deveres e responsabilidades.  Alguns são responsáveis por questões do universo.  Alguns são responsáveis pelos mares ou montanhas ou pelo vento.  Uma vez, depois de visitar a cidade de Taif, próxima à Meca, o profeta Muhammad foi apedrejado.  O anjo Gabriel e o anjo das montanhas o visitaram.

O anjo das montanhas ofereceu destruir o povo intratável enterrando-o sob os entulhos de duas montanhas próximas. O profeta Muhammad declinou da oferta, porque acreditava que se eles tivessem uma chance de conhecer o Islã aceitariam a religião e amariam a Deus.[12]

Os anjos executam as ordens de Deus sem vacilar ou hesitar.  Cada anjo tem um dever ou função.  Alguns anjos guardam e acompanham seres humanos, outros são mensageiros.  Na parte dois examinaremos esses deveres e aprenderemos os nomes de alguns dos anjos que os desempenham.

 

 



Footnotes:

[1] Saheeh Muslim.

[2] Ibn Abbas & Qutadah.

[3] O uso do termo ele é para facilitar a gramática e de forma alguma indica que os anjos são do sexo masculino.

[4] Saheeh Muslim

[5] Musnad de Imam Ahmad.

[6] Saheeh Al-Bukhari

[7] A construção em forma de cubo no centro da Mesquita Sagrada, na cidade de Meca, Arábia Saudita.

[8] Saheeh Al-Bukhari

[9] Saheeh Muslim

[10] Ibid

[11] Sunan Abu Dawood

[12] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

 

 

Anjos (parte 2 de 3): Deus concedeu força e poder aos anjos

Classificação:
Tamanho da fonte:
  • Por Aisha Stacey (© 2012 IslamReligion.com)
  • Publicado em 05 Mar 2012
  • Última modificação em 05 Mar 2012
  • Impresso: 428
  • Visualizado: 26325 (média diária: 9)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 1
  • Comentado em: 0

Os anjos são seres criados por Deus, a partir da luz.  Executam os deveres que lhes foram prescritos sem vacilar ou hesitar.  Os muçulmanos adquirem entendimento dos anjos a partir do Alcorão e das tradições autênticas do profeta Muhammad.  Na parte um estabelecemos que os anjos são belas criaturas com asas, que existem em vários tamanhos e que, através da permissão de Deus, são capazes de alterar sua forma.  Os anjos têm nomes e deveres que são obrigados a executar.

O nome mais familiar para muçulmanos e não-muçulmanos é Gabriel (Jibril). O anjo Gabriel é mencionado nas tradições judaicas e cristãs como um arcanjo e mensageiro de Deus e ele[1] detém um grande status em todas as três religiões monoteístas.

“Verdadeiramente o Alcorão é a palavra de um honorável Mensageiro (Gabriel), forte, digníssimo, ante o Senhor do Trono. Que deve ser obedecido, e no qual se deve confiar.” (Alcorão 81:19-21)

Gabriel trouxe as palavras de Deus - o Alcorão - para o profeta Muhammad.

“Concedemos o Livro a Moisés, e depois dele enviamos muitos mensageiros, e concedemos a Jesus, filho de Maria, as evidências, e o fortalecemos com o Espírito da Santidade (Gabriel).” (Alcorão 2:87)

Miguel (Mikail) é o anjo responsável pela chuva e Israfil é o anjo que soará a trombeta no Dia do Juízo.  Esse três são os maiores entre os anjos devido à grande importância de seus deveres. Cada um de seus deveres lida com um aspecto da vida. O anjo Gabriel trouxe o Alcorão de Deus para o profeta Muhammad e o Alcorão nutre o coração e a alma. O anjo Miguel é responsável pela chuva que nutre a terra e, consequentemente, nossos corpos físicos. O anjo Israfil é responsável por soprar a trombeta e isso sinaliza o começo da vida eterna, no Paraíso ou no Inferno.

Quando o profeta Muhammad levanta à noite para orar começava sua oração com as palavras: “Ó Deus, Senhor de Jibril, Mikail e Israfil, Criador dos céus e da terra, Conhecedor do oculto e do visível. És o Juiz dos assuntos nos quais Seus servos diferem. Guia-me com relação às disputas da Verdade pela Sua permissão, porque guias quem deseja para a Senda Reta.”[2]

Também sabemos os nomes de vários outros anjos. Malik, é o anjo conhecido como guardião do Inferno. “E gritarão: Ó Malik, que teu Senhor nos aniquile!”. (Alcorão 43:77)

Munkar e Nakir são os anjos responsáveis por questionar as pessoas em seus túmulos. Sabemos esses nomes e compreendemos que seremos questionados pelos anjos no túmulo como mencionado nas tradições do profeta Muhammad.

“Quando o falecido é enterrado, virão até ele dois anjos em azul e preto, um deles chamado Munkar e o outro Nakir. Perguntarão: “O que costumava dizer sobre esse homem?” e ele diz que costumava dizer: “É o servo e mensageiro de Deus. Testemunho que não há divindade exceto Deus e que Muhammad é o servo e mensageiro de Deus. Dizem: “Sabíamos de antemão que costumava dizer isso.” Então seu túmulo será ampliado até um tamanho de setenta cúbitos por setenta cúbitos e iluminado. Então lhe dirão: “Durma”. Ele diz: “Voltem para minha família e conte a eles.” Eles dirão: “Durma como uma noiva a quem ninguém acordará, exceto seu amado” até Deus ressuscitá-lo...”[3]

No Alcorão encontramos a história de dois anjos chamados Harut e Marut, que foram enviados para a Babilônia para ensinar mágica às pessoas.  O uso da mágica é proibido no Islã, mas esses anjos foram enviados como um teste para as pessoas.  Antes de revelarem ou ensinarem mágica Harut e Marut claramente alertaram os habitantes da Babilônia que tinham sido enviados como um teste e que os compradores de mágica não teriam lugar na vida eterna, ou seja, iriam para o inferno. (Alcorão 2:102)

Embora às vezes se suponha que o nome do anjo da morte seja Azrail, não há nada no Alcorão ou nas tradições autênticas do profeta Muhammad que indique isso.  Não sabemos o nome do anjo da morte, mas conhecemos seu dever e que ele tem assistentes.

“Dize: “O anjo da morte, que foi designado para vos guardar, recolher-vos-á, e logo retornareis ao vosso Senhor.”(Alcorão 32:11)

“... vos envia anjos da guarda para que, se a morte chegar a algum de vós, os Nossos mensageiros o recolham, sem negligenciarem o seu dever. Logo, retornarão a Deus, seu verdadeiro Senhor.” (Alcorão 6:61-62)

Existe um grupo de anjos que viaja pelo mundo, em busca de pessoas que meditam sobre Deus. Das tradições do profeta Muhammad sabemos que: “Deus tem anjos que viajam pelas rodovias em busca de pessoas que meditam sobre Deus.  Quando encontram pessoas meditando sobre Deus, chamam dizendo: “Venha para o que anseias!” e os envolvem com suas asas, alcançando o nível inferior do paraíso. Seu Senhor então lhes pergunta e Ele sabe melhor que eles: “O que Meus servos estão dizendo?” Dizem: “Estão Lhe glorificando, exaltando, louvando e elogiando.” Ele pergunta: “Eles Me viram?” Dizem: “Não, por Deus, não Lhe viram.” Ele pergunta: “E como seria se Me vissem?” Dizem: “Seriam ainda mais fervorosos e devotados em seus louvores e adoração.” Ele pergunta: “O que Me pedem?” Dizem: “Pedem-Lhe o Paraíso.” Ele pergunta: “Já o viram?” Dizem: “Não, por Deus, não o viram.” Ele pergunta: “E como seria se o vissem?” Dizem: “Ficariam ainda mais ansiosos por ele e Lhe suplicariam ainda mais intensamente.” Ele pergunta: “E para o que pedem Minha proteção?” Dizem: “Do fogo do Inferno.” Ele pergunta: “Eles o viram?” Dizem: “Não, por Deus, não o viram.” Ele pergunta: “E como seria se o vissem?” Dizem: “Teriam ainda mais medo e ficariam ainda mais ansiosos para escapar dele.” Deus diz: “Vocês são Minhas testemunhas de que Eu os perdoei.” Um dos anjos diz: “Existe quem não pertença realmente a eles e veio (para o encontro) por alguma outra razão.” Allah diz: “Todos estavam no encontro e um deles não será excluído (do perdão).”[4]

Os muçulmanos crêem que os anjos têm deveres especiais a executar em relação aos seres humanos. Eles os guardam e protegem e dois anjos registram as boas e más ações. Testemunham as orações e um deles é responsável pelos fetos nos úteros.  Na parte três entraremos em mais detalhes e descreveremos as associações entre anjos e seres humanos.



Footnotes:

[1] O uso do termo ele é para facilitar a gramática e de forma alguma indica que os anjos são do sexo masculino.

[2] Saheeh Muslim

[3] Sunan At Tirmidhi. Abu Isa disse: É um hadith ghareeb hasan. É considerado como hasan no Saheeh al-Jaami’, no. 724.

[4] Saheeh Al-Bukhari

 

 

Anjos (parte 3 de 3): Guardados por Anjos

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: As conexões entre anjos e a humanidade.

  • Por Aisha Stacey (© 2012 IslamReligion.com)
  • Publicado em 12 Mar 2012
  • Última modificação em 12 Mar 2012
  • Impresso: 411
  • Visualizado: 22462 (média diária: 7)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 2
  • Comentado em: 0

Os muçulmanos crêem que os anjos desempenham um papel ativo nas vidas dos seres humanos.  Começa logo após a concepção e continua até o momento da morte.  Os anjos e seres humanos até interagem na vida eterna.  Os anjos introduzem as pessoas no Paraíso e guardam os portões do Inferno.  A crença nos anjos é uma das crenças básicas do Islã.

Das tradições do profeta Muhammad entendemos que poucos meses após a concepção a vida é soprada no embrião pela permissão de Deus.  Um anjo então registra a resposta a quatro perguntas no livro de ações desse ser humano.  Será homem ou mulher?  Será feliz ou triste?  Quanto tempo viverá e essa pessoa realizará boas ou más ações?[1]

Existem anjos responsáveis por guardarem as pessoas enquanto elas viverem.

“Cada (de tais pessoas) tem (anjos) protetores. Escoltam-no em turnos sucessivos, por ordem de Deus.” (Alcorão 13:11)

Para cada pessoa foram designados dois anjos anotadores.  Esses anjos têm escribas honoráveis e seus deveres são registrar todas as boas e más ações. 

“. . . Ele é o Soberano absoluto dos Seus servos, e vos envia anjos da guarda. . .”    (Alcorão 6:61)

 “Pensam, acaso, que não ouvimos os seus colóquios, nem a suas confidências? Sim! Porque os Nossos mensageiros, entre eles, os registram.” (Alcorão 43:80)

“Eis que dois (anjos da guarda), são apontados para anotarem (suas obras), um sentado à sua direita e o outro à esquerda. Não pronunciará palavra alguma, sem que junto a ele esteja presente uma sentinela pronta (para a anotar).” (Alcorão 50:17-18)

“Porém, certamente, sobre vós há anjos da guarda, Generosos e anotadores.” (Alcorão 82:10-11)

Os anjos registram de uma maneira honorável e ainda assim estrita.  Nem uma única palavra é deixada sem registro.  Entretanto, como sempre, a misericórdia de Deus é evidente.  O profeta Muhammad, que Deus o louve, explicou que Deus definiu e forneceu detalhes sobre a metodologia de registro de boas e más ações.  “Quem tiver a intenção de fazer uma boa ação, mas não a fizer, é registrado como uma boa ação completa.  Se de fato executar a boa ação é registrada como dez boas ações ou até setecentas vezes ou mais.  Se uma pessoa tiver a intenção de cometer uma má ação, mas não a fizer, é registrado como uma boa ação; enquanto que, se pensar em fazer e efetivamente a agir de acordo com seu pensamento, é registrado como uma única má ação.”[2]

O renomado sábio muçulmano Ibn Kathir comentou sobre o Alcorão 13:10-11 dizendo: “Cada pessoa tem anjos que fazem turnos guardando-a dia e noite, que a protegem do mal e de acidentes, assim como outros anjos fazem turnos no registro de suas ações, boas ou más, dia e noite.”

“Dois anjos, à direita e à esquerda, registram seus atos.  O da direita registra as boas ações e o da esquerda registra as más ações.  Dois anjos a guardam e protegem, um atrás e outro na frente.  Então, existem quatro anjos de dia e outros quatro à noite.”

Além dos quatro anjos constantemente com cada ser humano, guardando e registrando, outros anjos visitam os seres humanos continuamente.  Em suas tradições o profeta Muhammad relembra seus seguidores de que são constantemente visitados por anjos.  Ele disse: “Os anjos vêm até vocês em sucessão de noite e de dia e todos juntos na hora das orações de Fajr (da alvorada) e de Asr (da tarde).  Aqueles que passaram a noite com vocês (ou ficaram com vocês) ascendem (para os céus) e Deus lhes pergunta, embora Ele saiba tudo sobre vocês: “Em que estado deixou meus servos?”  Os anjos respondem: “Quando os deixamos estavam orando e quando os alcançamos, estavam orando.”[3]  Reúnem-se para testemunhar a oração e ouvir os versículos recitados do Alcorão.

Pode ser entendido, portanto, que os anjos estão muito envolvidos com a vida dos seres humanos e sua interação não termina quando o anjo da morte remove a alma, nem após os anjos questionaram a pessoa falecida em seu túmulo[4].   Os anjos são os guardiães do Paraíso.

“Em troca, os tementes serão conduzidos, em grupos, até ao Paraíso e, lá chegando, abrir-se-ão as suas portas e os seus guardiães lhes dirão: Que a paz esteja convosco! Quão excelente é o que fizestes! Adentrai, pois! Aqui permanecereis eternamente.”  (Alcorão 39:73)

“....e os anjos entrarão por todas as portas, saudando-os: Que a paz esteja convosco por vossa perseverança! Que magnífica é a última morada!” (Alcorão 13:23-24)

Os anjos são os guardiães do Inferno.

“E o que te fará compreender o que é o tártaro? Nada deixa perdurar e nada deixa a sós! Carbonizador dos humanos! Guardado por dezenove. E não designamos guardiães do fogo, senão os anjos, e não fixamos o seu número senão como prova para os incrédulos; para que os adeptos do Livro se convençam e para que os crentes aumentem em sua fé.” (Alcorão 74:27-31)

Deus criou os anjos da luz.  São incapazes de desobedecer a Deus e seguem Suas ordens sem vacilar ou hesitar.  Os anjos adoram Deus.  É seu sustento.  Essas criaturas nobres desempenham um papel significativo na vida dos seres humanos.  Guardam e protegem, registram e relatam e se reúnem com os seres humanos para lembrar de Deus. 



Footnotes:

[1] Saheeh Al-Bukhari

[2] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

[3] Ibid.

[4] Ver parte 2

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version