El artículo / video que has solicitado no existe todavía.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

El artículo / video que has solicitado no existe todavía.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Tina Styliandou, ex-cristã, Grécia

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Uma grega que foi ensinada a odiar o Islã, abraça a religião

  • Por Tina Styliandou, ex-cristã
  • Publicado em 14 Apr 2014
  • Última modificação em 14 Apr 2014
  • Impresso: 17
  • Visualizado: 2662 (média diária: 1)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

Nasci em Atenas, na Grécia, de pais gregos ortodoxos. A família de meu pai morou na Turquia, Istambul, a maior parte de suas vidas e meu pai nasceu e cresceu lá. Eram abastados, bem educados e, como a maioria dos cristãos ortodoxos que viviam em um país islâmico, mantinham sua religião.

Veio uma época em que o governo turco decidiu expulsar a maioria dos cidadãos gregos da Turquia e confiscar sua riqueza, casas e negócios. Então a família de meu pai teve que retornar para a Grécia de mãos vazias. Isso foi o que os muçulmanos turcos fizeram com eles e isso validava, de acordo com eles, seu ódio ao Islã.  

A família de minha mãe vivia em uma ilha grega na fronteira entre a Grécia e a Turquia. Durante um ataque turco, os turcos ocuparam a ilha, queimaram suas casas e, para sobreviver, eles escaparam para o continente grego. Mais uma razão para odiar os muçulmanos turcos!

A Grécia foi ocupada pelos turcos por mais de 400 anos e nos ensinaram a acreditar que o Islã era responsável por todos os crimes contra os gregos. Os turcos eram muçulmanos e seus crimes refletiam suas crenças religiosas.

Isso era de fato um plano muito sábio da igreja ortodoxa grega (religião e política na Grécia são a mesma coisa) para imbuir o ódio nos corações dos gregos contra o Islã, para proteger sua religião e prevenir as pessoas de se converterem à religião.

Assim, por centenas de anos fomos ensinados em nossa história e livros religiosos a odiar e debochar da religião islâmica.

Em nossos livros o Islã não era de fato uma religião e Muhammad (que a paz esteja sobre ele) não era um profeta! Era apenas um líder e político muito inteligente que reuniu regras e leis dos judeus e cristãos, acrescentou algumas de suas próprias ideias e conquistou o mundo.  

Na escola éramos ensinados a debochar dele e de suas esposas ou companheiros. Todas as “caricaturas” e calúnias contra ele que são publicadas hoje pela mídia eram parte de nossas lições e provas!

Alhamdulillah (graças a Deus), Allah protegeu meu coração e o ódio contra o Islã não entrou.

Outros gregos também foram bem sucedidos em se livrar do fardo da herança religiosa ortodoxa colocado sobre seus ombros e abriram, pela vontade de Allah, seus olhos, ouvidos e corações para ver que o Islã é uma religião verdadeira enviada por Allah e que Muhammad é um verdadeiro profeta, e o último de todos eles.

Os muçulmanos acreditam que Allah enviou mensageiros para a humanidade como orientação, começando de Adão, Noé, Abraão, Ismael, Isaque, Moisés e Jesus (que a paz esteja sobre todos eles). Mas a mensagem final de Allah foi revelada ao profeta Muhammad (que a paz esteja sobre ele).

Foi uma grande ajuda para mim que meus pais não fossem muito religiosos. Raramente praticavam sua religião e costumavam me levar à igreja somente em casamentos ou funerais.

O que afastou o meu pai da religião foi a corrupção que via diariamente entre os padres. Como essas pessoas podiam pregar Deus e bondade e, ao mesmo tempo, roubar dos fundos da igreja, comprar mansões e carros Mercedes e espalhar o homossexualismo entre eles? São esses os representantes virtuosos da religião que nos guiarão, corrigirão e levarão para mais perto de Deus? Estava cansado deles e isso fez com que se tornasse ateu.

As igrejas perdem a maioria de seus seguidores, pelo menos em meu país, por causa de suas ações. No Islã um sheik ou estudioso da religião ajuda e guia outros com pura paixão e somente com o desejo de agradar a Allah e obter seu caminho para o Paraíso.

No Cristianismo tornar-se padre é uma ocupação lucrativa. Essa corrupção “por dentro” afasta muitos jovens da religião em que nasceram e os leva para buscar outra coisa.

Quando adolescente gostava demais de ler e não estava realmente satisfeita ou convencida com o Cristianismo. Tinha crença em Deus, temor e amor por Ele, mas tudo o mais me confundia.

Comecei a buscar, mas nunca pesquisei o Islã (talvez devido ao histórico que tinha contra ele).

Então, alhamdulillah, Ele teve misericórdia de minha alma e me guiou da escuridão para a luz, do Inferno para o Paraíso, se Deus quiser.

Ele trouxe para minha vida o meu marido, nascido muçulmano, plantou a semente de amor em nossos corações e nos levou ao casamento sem que realmente prestássemos atenção às diferenças religiosas.

Meu marido estava disposto a responder qualquer pergunta que eu tivesse em relação à sua religião, sem humilhar minhas crenças (independente do quanto fossem erradas) e sem nunca me pressionar ou mesmo pedir para que eu trocasse minha religião.

Depois de 3 anos de casada, tendo a chance de saber mais sobre o Islã, ler o nobre Alcorão e também outros livros religiosos, estava convencida de que não havia algo como a trindade e nem Jesus era Deus. 

Os muçulmanos acreditam em um Deus Único e Incomparável, Que não tem filho e nem parceiro e que ninguém tem o direito de ser adorado, exceto Ele apenas! Ninguém compartilha Sua divindade e nem Seus atributos.

Allah Se descreve no Alcorão. Disse:

“Dize: Ele é Allah, o Único. Allah, o Absoluto! Jamais gerou ou foi gerado! E ninguém é comparável a Ele!” (Alcorão 112:1-4)

Ninguém tem o direito de receber invocações, súplicas, orações ou qualquer ato de adoração, exceto Allah.

A religião do Islã é a aceitação e a obediência aos ensinamentos de Allah que foram revelados ao Seu profeta final, Muhammad.

Tornei-me muçulmana, mantendo segredo de minha família e amigos por muitos anos. Morávamos com meu marido na Grécia tentando praticar o Islã, mas era extremamente difícil, quase impossível.

Em minha cidade não havia mesquitas, nem acesso a estudos islâmicos, pessoas orando ou jejuando ou mulheres usando hijab.

Havia apenas alguns imigrantes muçulmanos que vieram para a Grécia em busca de um futuro financeiro melhor e que deixaram o estilo de vida ocidental atraí-los e, por fim, corrompê-los. Como resultado, não seguiam sua religião e estavam completamente perdidos.

Era incrivelmente difícil desempenhar nossos deveres islâmicos, especialmente para mim, já que não nasci como muçulmana e não tive uma educação islâmica.

Meu marido e eu tínhamos que orar e jejuar com o uso de calendários, sem Adhan (a chamada muçulmana para oração) em nossos ouvidos e sem Ummah islâmica (comunidade de muçulmanos) para nos apoiar. Sentíamos que a cada dia que passava dávamos um passo para trás. Nossa fé estava diminuindo e a onda nos levando.

Então, quando minha filha nasceu, decidimos que para salvar nossas almas e a de nossa filha, se Deus quisesse, tínhamos que migrar para um país islâmico. Não queríamos educá-la em um ambiente ocidental aberto, onde ela lutaria para manter sua identidade e pudesse acabar perdida.

Graças a Allah, Ele nos guiou e deu a chance de migrar para um país islâmico, onde podemos ouvir as palavras doces do Adhan e aumentar nosso conhecimento e amor por Ele e por nosso amado profeta Muhammad.

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version