L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Versos Trinitários (parte 1 de 4): “Um Menino Nos Nascerá...Pai Eterno, Príncipe da Paz”

Classificação:   
Tamanho da fonte:

Descrição: Uma discussão das várias passagens nas quais os cristãos buscam provar a natureza trinitária de Deus.  Parte 1: Isaías 9:6.

  • Por IslamReligion.com
  • Publicado em 19 Oct 2009
  • Última modificação em 04 Dec 2016
  • Impresso: 407
  • Visualizado: 17476 (média diária: 5)
  • Classificação: 1 de 5
  • Classificado por: 1
  • Enviado por email: 5
  • Comentado em: 0

Existem vários versos chaves que os cristãos usam para provar a origem bíblica da Trindade.  Analisando esses versos pode-se claramente ver que eles não provam a Trindade, mas sim a mesma mensagem monoteísta de Deus.  Uma das passagens mais freqüentemente citada da Bíblia é Isaías 9:6-7, a partir da qual os cristãos concluem que o Messias deve ser Deus encarnado.  A passagem afirma:

“...um menino nos nascerá, um filho nos será dado; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz.  Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e em justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos exércitos fará isso.”

Que Isaías 9:6 foi mal-interpretado pode se ver pelo fato de Jesus não ser chamado de “Pai Eterno” em nenhum outro lugar na Bíblia.  Uma vez que a doutrina trinitária ensina que os cristãos não devem “confundir as Pessoas nem dividir a Substância” (Credo Atanasiano), como os trinitaristas aceitam que Jesus seja o “Pai Eterno”? Vamos considerar fatos adicionais de forma imparcial.

Primeiro, todas as formas verbais hebraicas em Isaías 9:6 estão no passado.   Por exemplo, a palavra que a Bíblia cristã traduz como “seu nome será chamado” são as duas palavras ‘vayikra shemo,’ que adequadamente traduzidas devem ser lidas como “seu nome foi chamado.”  A palavra “vayikra” é a primeira palavra a aparecer no livro de Levítico (1:1) e está traduzida corretamente lá – no passado.  Além disso, a Versão do Rei James traduz os mesmos verbos no passado em outros lugares em Gênesis 4:26 e Isaías 5:25. Somente em Isaías 9:6-7 esses verbos são traduzidos no futuro!

Note que ele diz “uma criança NASCEU para nós.”  Esse é um evento que acabou de acontecer, não um evento futuro.  Isaías não está fazendo uma profecia, mas contando uma história.  Um evento futuro diria uma criança nos nascerá, mas NÃO é isso que o verso diz.  As traduções cristãs colocam em maiúscula a palavra ‘filho’ supondo que essa seja uma profecia messiânica e os nomes de um filho divino.

Segundo, a palavra “é”, geralmente não é declarada em hebraico.  Ao contrário, “é” fica subentendida.  Por exemplo, as palavras “hakelev” (o cachorro) e “gadol” (grande), quando reunidas em uma frase - hakelev gadol - significam “o cachorro É grande,” mesmo que nenhuma palavra hebraica naquela frase represente a palavra “é”. Uma tradução mais apurada do nome daquela criança, então, seria “Um maravilhoso conselheiro é o Deus poderoso, o pai eterno...”  Esse nome descreve Deus, não a pessoa que carrega o nome.  O próprio nome Isaías significa “Deus é salvação,” mas ninguém acredita que o próprio profeta seja Deus em um corpo humano!

Terceiro, a frase “Deus Poderoso” é uma tradução pobre de acordo com alguns eruditos bíblicos.  Embora o português faça a distinção clara entre “Deus” e “deus”, a língua hebraica, que tem apenas letras maiúsculas, não faz.  A palavra hebraica “Deus” tem uma aplicação muito mais ampla do que tem em português.  Alguns sugerem uma tradução melhor para o leitor em português que seria “herói poderoso,” ou “herói divino.”  Tanto Martim Lutero quanto James Moffatt traduziram a frase como “herói divino” em suas Bíblias.

Quarto, de acordo com o Novo Testamento, Jesus nunca foi chamado de quaisquer desses nomes durante a sua vida.

Quinto, se Isaías 9:6 for adotado como se referindo a Jesus, então Jesus é o Pai!  E isso vai contra a doutrina trinitária.

Sexto, o fato de que o Novo Testamento não cita essa passagem mostra que até os autores do Novo Testamento não tomaram esse verso como sendo em referência a Jesus.

Sétimo, a passagem está falando sobre as maravilhas realizadas pelo Senhor para Ezequias, rei de Judá.  Os versos precedentes em Isaías 9 falam de um grande triunfo militar de Israel sobre seus inimigos.  Na época que se diz que Isaías escreveu essa passagem, Deus tinha acabado de libertar o rei Ezequias e Jerusalém de um cerco imposto pelos assírios sob o comando do general Senaqueribe.  Diz-se que a libertação foi realizada de forma espetacular: um anjo foi para o campo assírio e matou 185.000 soldados enquanto dormiam.   Quando Senaqueribe acordou e encontrou seu exército dizimado, ele e os soldados remanescentes fugiram, quando então ele foi assassinado por seus próprios filhos (Isaías 37:36-38). Os capítulos 36 e 37 contam como Ezequias se manteve firme em face do vasto exército de Senaqueribe e suas palavras blasfemas contra Deus.  Quando tudo parecia perdido, Ezequias continuou a confiar no Senhor, e por isso foi recompensado com uma vitória milagrosa.  É interessante notar que a afirmação, “o zelo do Senhor dos exércitos fará isso,” encontrado no final de Isaías 9:7 é encontrada em apenas dois outros lugares na Bíblia: Isaías 37:32 e 2 Reis 19:31.  Ambas as passagens discutem a libertação milagrosa de Ezequias por Deus.  Sendo assim, em luz do que foi exposto, Isaías está contando a defesa de Jerusalém por Deus durante o cerco assírio.  Além disso, o comentário de Soncino diz que o capítulo é sobre a queda da Assíria e o anúncio do nascimento de Ezequias, o filho de Acaz.

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version