L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Profecias Bíblicas de Muhammad (parte 2 de 4): Profecias de Muhammad do Velho Testamento

Classificação:   
Tamanho da fonte:

Descrição: A evidência bíblica de que Muhammad não é um falso profeta.  Parte 2: Discussão da profecia mencionada no Deuteronômio 18:18, e como Muhammad se adequa a essa profecia mais do que outros.

  • Por IslamReligion.com
  • Publicado em 04 Jan 2009
  • Última modificação em 07 Jan 2009
  • Impresso: 740
  • Visualizado: 29474 (média diária: 8)
  • Classificação: 3 de 5
  • Classificado por: 5
  • Enviado por email: 1
  • Comentado em: 0

Deuteronômio 18:18 “Eu (Deus) lhes suscitarei do meio de teus irmãos um profeta semelhante a ti (Moisés), e porei minhas palavras em sua boca; e ele lhes falará tudo que eu lhe ordenar.”

Muitos cristãos acreditam que essa profecia profetizada por Moisés se aplica a Jesus.  De fato Jesus foi profetizado no Velho Testamento, mas como ficará claro, essa profecia não se adequa a ele, mas ao contrário, se aplica mais a Muhammad, que Deus o exalte.  Moisés profetizou o seguinte:

1.         O Profeta Será Como Moisés

.

Áreas de Comparação

Moisés

Jesus

Muhammad

Nascimento

nascimento normal

nascimento virginal, milagroso

nascimento normal

Missão

apenas profeta

diz-se ser o Filho de Deus

apenas profeta

Pais

pai & mãe

apenas mãe

pai & mãe

Vida Familiar

casado com filhos

nunca casou

casado com filhos

Aceitação por seu próprio povo

Judeus o aceitaram

Judeus o rejeitaram[1]

Árabes o aceitaram

Autoridade Política

Moisés a tinha (Núm. 15:36)

Jesus a recusou[2]

Muhammad a tinha

Vitória Sobre Oponentes

Faraó se afogou

diz-se ter sido crucificado

Mecanos derrotados

Morte

morte natural

alega-se ter sido crucificado

morte natural

Sepultamento

sepultado em túmulo

túmulo vazio

sepultado em túmulo

Divindade

não divino

divino para os cristãos

não divino

Idade na qual começou a Missão

40

30

40

Ressureição na terra

não ressuscitou

alegada ressuscitação

não ressuscitou

 

 

2.         O Profeta Esperado será de seus Irmãos entre os Judeus

O verso em discussão é explícito ao dizer que o profeta virá de entre os Irmãos dos judeus.   Abraão tinha dois filhos: Ismael e Isaque.  Os judeus são os descendentes do filho de Isaque, Jacó.  Os árabes são os filhos de Ismael.  Portanto, os árabes são os irmãos da nação judaica.[3] A Bíblia afirma:

‘E ele (Ismael) habitará fronteiro a todos os seus irmãos.’  (Gênesis 16:12)

‘E ele (Ismael) morreu fronteiro a todos os seus irmãos.’  (Gênesis 25:18)

Os filhos de Isaque são os irmãos dos ismaelitas.  Da mesma forma, Muhammad é de entre os irmãos dos israelitas, porque ele era um descendente de Ismael, o filho de Abraão.

 

3.         Deus Colocará Suas Palavras na Boca do Profeta Esperado

O Alcorão diz sobre Muhammad:

“Nem ele fala a partir de seu próprio desejo: aquilo [que ele transmite a vós] não é senão uma inspiração [divina] com a qual ele está sendo inspirado." (Alcorão 53:3-4)

Isso é muito semelhante ao verso em Gênesis 18:15:

“Eu (Deus) lhes suscitarei do meio de seus irmãos um profeta semelhante a ti (Moisés), e porei minhas palavras em sua boca; e ele lhes falará tudo que eu lhe ordenar.” (Gênesis 18:18)

O Profeta Muhammad veio com uma mensagem para o mundo todo, inclusive para os judeus.  Todos, incluindo os judeus, devem aceitar a sua missão profética, e isso é apoiado pelas seguintes palavras:

“O SENHOR teu Deus te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, semelhante a mim; a ele ouvirás.” (Deuteronômio 18:15)

4.         Um Alerta aos Rejeitadores

A profecia continua:

Deuteronômio 18:19   “De todo aquele que ouvir minhas palavras, que ele dirá em meu nome, disso lhe pedirei contas.” (em algumas traduções: “Eu serei o Vingador”).

Muito interessantemente, os muçulmanos começam cada capítulo do Alcorão em nome de Deus ao dizer:

Bismillah ir-Rahman ir-Raheem

“Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso."

Abaixo estão os relatos de alguns eruditos que acreditaram que essa profecia se adequa a Muhammad.

A Primeira Testemunha

Abdul-Ahad Dawud, o ex-reverendo David Benjamin Keldani, um sacerdote católico romano da denominação caldeana (leia sua biografia aqui).  Após aceitar o Islã, ele escreveu o livro, ‘Muhammad na Bíblia.’  Ele escreve sobre essa profecia:

“Se essas palavras não se aplicam a Muhammad, elas ainda estão por serem cumpridas.  O próprio Jesus nunca alegou ser o profeta mencionado.  Até mesmo seus discípulos eram da mesma opinião: eles esperavam pela segunda vinda de Jesus para o cumprimento da profecia (Atos 3: 17-24). Até agora é indiscutível que a primeira vinda de Jesus não foi o advento do Profeta semelhante a ti e seu segundo advento dificilmente satisfaz essas palavras.  Jesus, como é acreditado por sua Igreja, aparecerá como um Juiz e não como um legislador; mas o prometido tem de vir com uma “lei ardente” em sua mão direita.”[4]

A Segunda Testemunha

Muhammad Asad nasceu Leopold Weiss em julho de 1900 na cidade de Lvov, agora na Polônia, então parte do Império Austríaco.  Ele foi o descendente de uma longa linhagem de rabinos, uma linhagem interrompida por seu pai, que se tornou um advogado.  O próprio Asad recebeu uma educação religiosa detalhada que o qualificaria a manter viva a tradição rabínica da família.  Ele se tornou proficiente em hebraico ainda muito jovem e também estava familiarizado com o aramaico.  Ele tinha estudado o Velho Testamento no original assim como o texto e comentários do Talmude, a Mishná e a Gemará, e se aprofundou nas complexidades da exegese bíblica, o Targum.[5]

Comentando sobre o versículo do Alcorão:

“e não confundais o verdadeiro com o falso, e não oculteis a verdade enquanto sabeis.” Alcorão 2:42)

Muhammad Asad escreve:

“Por ‘confundir o verdadeiro com o falso’ entenda-se a corrupção do texto bíblico, do qual o Alcorão freqüentemente acusa os judeus (e que já foi estabelecido por criticismo textual objetivo), enquanto que a ‘supressão da verdade’ se refere à sua desconsideração ou interpretação deliberadamente falsa das palavras de Moisés na passagem bíblica, 'O Senhor teu Deus suscitará do meio de ti um profeta, dos teus irmãos, semelhante a mim; a ele ouvirás' (Deuteronômio 18:15), e as palavras atribuídas ao próprio Deus, ‘Eu suscitarei um profeta dentre teus irmãos, semelhante a ti, e colocarei as minhas palavras em sua boca’ (Deuteronômio 18:18). Os ‘irmãos’ dos filhos de Israel obviamente são os árabes, e particularmente o musta’ribah (‘arabizado) grupo entre eles, que traça a sua descendência a partir de Ismael e Abraão: e uma vez que esse é o grupo ao qual a tribo do próprio profeta, os Coraixitas, pertencia, as passagens bíblicas acima devem ser consideradas como se referindo ao seu advento.” [6]



Footnotes:

“Ele (Jesus) veio para os seus, mas os seus não o aceitaram” (João 1:11).

[2] João 18:36.

[3] ‘Muhammad: His Life Based on the Earliest Sources’ (Muhammad: Sua Vida Baseada nas Fontes Mais Antigas’) de Martin Lings, p. 1-7.

[4] p. 156

[5] ‘Berlin to Makkah: Muhammad Asad’s Journey into Islam’ (‘De Berlim a Meca: A Jornada de Muhammad Asad ao Islã’) de Ismail Ibrahim Nawwab na edição de Janeiro/Fevereiro de 2002 da Saudi Aramco Magazine.

[6] Muhammad Asad, ‘The Message of The Quran’ (‘A Mensagem do Alcorão’) (Gibraltar: Dar al-Andalus, 1984), p. 10-11.

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version