L'article / vidéo que vous avez demandée ne existe pas encore.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

あなたが要求した記事/ビデオはまだ存在していません。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

आपके द्वारा अनुरोधित लेख/वीडियो अभी तक मौजूद नहीं है।

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Makala/video uliyoomba bado haipo.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'article / vidéo que vous avez demandée ne existe pas encore.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

आपके द्वारा अनुरोधित लेख/वीडियो अभी तक मौजूद नहीं है।

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Makala/video uliyoomba bado haipo.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

A paciência do profeta ao transmitir a mensagem (parte 1 de 2): Os seguidores de Muhammad são pacientes

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: A paciência do profeta Muhammad ao propagar a mensagem do Islã.

  • Por Aisha Stacey (© 2017 IslamReligion.com)
  • Publicado em 01 May 2017
  • Última modificação em 01 May 2017
  • Impresso: 12
  • Visualizado: 7544 (média diária: 4)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

Deus nos diz no Alcorão que enviou o profeta Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, como uma misericórdia para a humanidade.  "E não te enviamos, senão como misericórdia para a humanidade, gênios e tudo que existe." (Alcorão 21:107) Deus não disse que Muhammad foi enviado para o povo da Arábia, para um gênero específico, para as pessoas do século 7 ou mesmo para seu próprio povo.   De fato o profeta Muhammad foi rejeitado e humilhado por seu próprio povo. 

Deus também deixou claro que o profeta Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, era um profeta como nenhum outro.  Cuja mensagem seria propagada amplamente e seria aplicável em todos os lugares e em todas as épocas.  Ele superou dificuldades, grande tristeza, batalhas épicas e humilhação constante. Entretanto, nada o deteve de transmitir a mensagem.  O profeta Muhammad foi o primeiro a transmitir a mensagem de Deus em uma forma adequada para todos os povos, em todos os lugares e em todas as épocas.  A mensagem principal é simples: adorar somente a Deus, sem parceiros, filhos ou filhas e o profeta Muhammad a propagou com grande paciência e tolerância até maior.  Sua paciência não tinha limites e nunca se inclinava a agir de maneira irracional ou zangada.  A violência não era parte da mensagem e não tinha parte na sua propagação. 

Mais de um bilhão de muçulmanos em todo o mundo amam, respeitam e seguem o profeta Muhammad.  Eles o têm em tão alta estima que para muitos é emocionalmente doloroso ver ou ouvir seu amado mentor ser ridicularizado ou desrespeitado.  As demonstrações em todo o mundo sempre que o nome do profeta Muhammad é desrespeitado ou sua imagem é produzida, são testemunho disso.  Entretanto, comportamento violento e irracional não é algo aprendido do profeta Muhammad.  Seu rosto se voltava firmemente para Deus e para a Outra Vida e sua única missão era propagar a mensagem do Misericordioso com paciência e tolerância.

Propagar a palavra do Islã fez do profeta Muhammad um pobre e um proscrito social, depois de viver uma vida de relativa facilidade.  Seu estilo de vida mudou drasticamente para pior e sua vida foi ameaçada em mais de uma ocasião.  Além disso, sua família e seguidores foram ridicularizados, escarnecidos e agredidos.  A mensagem pesava sobre seus ombros e até em seu sermão final estava preocupado, pedindo às pessoas para testemunharem perante Deus que tinha transmitido a mensagem.

É importante que nesse momento na história mundial, quando às vezes parece que a população muçulmana está sendo encurralada ou cercada, que nos lembremos da paciência do profeta Muhammad e enfrentemos nossos problemas com os mesmos métodos que ele usou em face da adversidade.  O próprio profeta Muhammad demonstrou enorme controle e paciência quando era insultado, menosprezado e espancado.   Como sua amada esposa Aisha dizia: "O caráter dele era um reflexo do Alcorão".[1]

Em uma época muito difícil de sua vida, logo após um período conhecido como Ano da Tristeza, o profeta Muhammad foi à cidade de Taif esperando encontrar pessoas que ouviriam e apoiariam sua mensagem para a humanidade.   Ao invés disso encontrou insultos e injúrias.  Foi expulso da cidade.   Com suas sandálias cheias de sangue, das injúrias infligidas pelos homens, mulheres e crianças jogando pedras, o profeta Muhammad orou a Deus por socorro.  Em resposta, o anjo das montanhas desceu e pediu a permissão do profeta para fazer as montanhas ao redor de Taif desmoronarem, matando todos os habitantes da cidade.   Apesar de por toda sua dor e sofrimento, e de ter todo o direito de ficar zangado, a resposta do profeta foi: "Não, porque espero que Allah faça de sua descendência um povo que adorará Deus somente, sem associar nada a Ele."

Tomos ouvimos o dito de que a paciência é uma virtude, significando que a paciência é uma característica nobre a se adquirir.  A paciência é uma qualidade que devemos praticar e usar nas pequenas situações e às vezes em situações que são motivo de grande preocupação em nossas vidas.  Ler até mesmo uma pequena parte da história islâmica mostrará a você que o profeta Muhammad foi paciente.  Paciência não significa não fazer nada, mas implica em tentar o melhor para aliviar a situação.  Assim, ele fez esforços para aliviar a situação, como duas migrações e a compra de escravos principalmente para parar a tortura e humilhação deles. 

Depois de dez anos vivendo em Medina, dez anos ensinando às pessoas a amar e obedecer a Deus, dez anos estabelecendo um estado islâmico justo e igualitário, o profeta Muhammad e seus seguidores foram capazes de retornar para Meca.   Sua paciência foi finalmente recompensada, mas ainda assim ele cavalgava um jumento com dezenas de milhares de seguidores.  O profeta Muhammad podia ter perdido a paciência e exercido uma vingança terrível.  Mas ele não o fez!  Meca ficou aos seus pés, os inimigos se curvaram em rendição e o profeta Muhammad falou pela misericórdia de seu Criador e disse: "Falo com as mesmas palavras que Yusuf (o profeta José) falou a seus irmãos: Hoje não há repreensão contra vocês. Sigam seu caminho, porque estão livres".[2]

Ao longo de sua vida e, particularmente durante sua missão profética, o profeta Muhammad praticou a paciência e tentou encorajar e até exigir que seus seguidores aprendessem a paciência.  Existem muitos exemplos do profeta Muhammad aconselhando a ter paciência.  A história a seguir em particular retrata um homem que foi capaz de demonstrar paciência e tolerância acima do usual, mas também mostra até onde o profeta Muhammad iria para ensinar seus seguidores por que devem sempre se comportar de maneira paciente e mais correta.

Essa é a história do rabino judeu Zaid ibn Sanah.   O rabino Zaid havia emprestado algo ao profeta Muhammad.  Ele próprio descreve a cena e o diálogo: "...O profeta Muhammad estava no funeral de um homem dos Ansar. Abu Bakr, Umar, Uthman e alguns dos outros companheiros estavam com ele. Depois da oração fúnebre ele se sentou próximo a uma parede e me aproximei dele, peguei-o pelas bordas de seu manto olhei para ele de maneira dura e disse: "Ó Muhammad! Não pagará meu empréstimo? Nunca soube que a família de Abdul-Mutalib atrasasse o pagamento de seus débitos!" Olhei para Umar, cujos olhos se incharam de raiva! Ele olhou para mim e disse: "Ó inimigo de Deus, fala e se comporta dessa maneira com o mensageiro de Deus?!  Por Aquele que o enviou com a verdade, se não fosse pelo temor de não entrar no Paraíso, eu o teria decapitado com minha espada!"

O profeta Muhammad não estava atrasado no pagamento do débito, mas o rabino o tinha abordado e falado de maneira desagradável.  Como ele reagiria?  Nesse ano de 2015 como a maioria das pessoas reagiria?  Se conhecer aqueles que reagiriam de maneira calma e aceitariam tratamento ríspido com paciência, então ficaria feliz em saber que estão seguindo os ensinamentos do profeta Muhammad.  Na parte seguinte descobriremos como esse incidente foi concluído e isso pode surpreender você.



Notas de rodapé:

[1] Saheeh Muslim

[2] Registrado por Ibn Kathir, relatado por Saheeh Muslim e autenticado pelo Sheikh Al-Albani

 

 

A paciência do profeta ao transmitir a mensagem (parte 2 de 2): Deus nos ordena a sermos pacientes

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Exemplos da paciência do profeta Muhammad e um breve olhar na ordem de Deus para sermos pacientes.

  • Por Aisha Stacey (© 2017 IslamReligion.com)
  • Publicado em 01 May 2017
  • Última modificação em 01 May 2017
  • Impresso: 13
  • Visualizado: 7379 (média diária: 4)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

ProphetsPatience_02.jpgEssa é uma continuação de nossa história sobre a paciência do profeta Muhammad em face de adversidade.  Paramos com o rabino Zaid de fé diante do olhar malevolente de Umar.  O rabino se afastou e o profeta disse para Umar: "...você devia nos dar um conselho sincero, ao invés de agir como agiu! Vá e pague a ele o empréstimo concedido e dê a ele vinte Sa’a (uma medida de peso) extra, porque você o assustou!"

O profeta Muhammad era paciente com todos, seus companheiros próximos, conhecidos como o rabino e até mesmo com estranhos.  Estava sugerindo que seria melhor para Umar ser paciente e dar conselho sincero como sugerir uma solução que deixasse a todos satisfeitos, ao invés de perder sua paciência. Ao ponderar sobre essa história pode-se pensar por que o rabino estava cobrando o pagamento dias antes da data devida.  Os homens estavam reunidos após o funeral de um dos residentes de Medina.  Talvez o rabino tenha aproveitado a oportunidade de pedir seu empréstimos; talvez fosse um homem impaciente que queria se assegurar de que o empréstimo seria pago na data certa.  Os seres humanos têm diversas maneiras de lidar entre si, mas seguir o exemplo do profeta Muhammad é sempre a melhor maneira, algo que fica claro quando continuamos a história.

O rabino Zaid diz: "Umar veio até mim, pagou a dívida e me deu vinte Sa’a extras em tâmaras. Perguntei a ele por que e ele respondeu: "O mensageiro de Deus me ordenou porque eu o assustei." Zaid percebeu então que Umar não tinha ideia de quem ele era e perguntou se ele sabia. Umar respondeu que não fazia ideia. Zaid olhou para Umar e disse: "Sou Zaid ibn Sanah, o rabino." Umar ficou admirado e perguntou a Zaid por que havia se comportado daquela maneira com o profeta? Zaid explicou que tinha visto muitos sinais de profecia em Muhammad, exceto dois, e queria testar os dois sinais finais. Eram que paciência e perseverança teriam precedência sobre a raiva e o tratamento duro seria retribuído com gentileza. Foi exatamente isso que o rabino Zaid tinha observado. 

O profeta Muhammad não só era paciente ao transmitir sua mensagem, mas foi sua paciência que convenceu as pessoas que sua religião era verdadeira.  Nesse caso o rabino Zaid renunciou imediatamente à sua religião e diante do profeta Muhammad testemunhou que não havia ninguém merecedor de adoração, exceto Deus e que profeta Muhammad era Seu mensageiro.[1]

O profeta Muhammad não mostrou essa paciência ao transmitir a mensagem porque achava que facilitaria sua vida. Fez porque foi ordenado por Deus a fazê-lo.  Em muitos casos não facilitou a vida dele.   O tio do profeta, o homem conhecido como Abu Lahab e sua esposa, eram grandes inimigos do Islã e do profeta Muhammad.  Todos os dias jogavam pedras e terra na casa dele e encorajavam outros a fazê-lo.  Muitos jogavam pedras não só na casa dele, mas nele próprio.  As injúrias não eram incomuns.  Espalhavam espinhos no chão de maneira que o profeta Muhammad não pudesse evitá-los e em muitos dias os pés do profeta sangravam após extrair os espinhos.  Como ele reagiu? Com paciência, tolerância e perdão.

Para enfatizar a importância de se comportar de maneira calma e gentil, Deus faz menção a isso várias vezes no Alcorão.  Deus diz: seja paciente, perdoe-os e reprima sua raiva.

"Que fazem caridade, tanto na prosperidade, como na adversidade; que reprimem a cólera; que indultam o próximo. Sabei que Deus aprecia os benfeitores. " (Alcorão 3:134)

"...porém, se perseverardes pacientemente e temerdes a Deus, sabei que isso é um fator determinante, em todos os assuntos." (Alcorão 3:186)

"Muitos dos adeptos do Livro, por inveja, desejariam fazer-vos voltar à incredulidade, depois de terdes acreditado, apesar de lhes ter sido evidenciada a verdade. Tolerai e perdoai..." (Alcorão 2:109)

O profeta Muhammad suportou pacientemente a perseguição e abuso que sofreu ao chamar as pessoas para a verdade do Islã.  Os idólatras, os pagãos e os hipócritas debochavam dele, o insultavam, não acreditaram nele e abusaram dele.  Foi chamado de mentiroso e mágico, vidente e louco, mas isso não o impediu de transmitir sua mensagem.  Deus havia avisado o profeta Muhammad de que muitos o ignorariam, abusariam e não acreditariam nele.

"Sê perseverante, porque a promessa de Deus é inexorável. Que não te abatem aqueles que não creem (na tua firmeza)." (Alcorão 30:60)

Ao transmitir a mensagem o profeta Muhammad nunca perdeu sua paciência ou se comportou de maneira violenta.  Nunca elevou sua voz ou olhou para eles com desdém.  Se se engajava em um debate ou argumento, o fazia de maneira calma e inteligente. 

"Convoca (os humanos) à senda do teu Senhor com sabedoria e uma bela exortação e dialoga com eles de maneira benevolente." (Alcorão 16:125)

"E não disputeis com os adeptos do Livro (judeus e cristãos), senão da melhor forma, exceto com os iníquos, dentre eles. Dizei-lhes: Cremos no que nos foi revelado, assim como no que vos foi revelado antes; nosso Deus e o vosso são Um e a Ele nos submetemos." (Alcorão 29:46)

Quando o profeta Muhammad falava aos seus companheiros sobre transmitir a mensagem, sempre se preocupava com o comportamento deles.   Ao enviar companheiros aos judeus e cristãos no Iêmen, aconselhou-os: "Facilitem e não sejam duros. Deem as boas novas e não afastem as pessoas."[2]  Além disso, Deus proibiu qualquer um de iniciar insultos ou responder a palavras ríspidas sobre a mensagem com insultos. 

"Não injurieis o que invocam, em vez de Deus, a menos que eles, em sua ignorância, injuriem iniquamente Deus." (Alcorão 6:108)

O profeta Muhammad e os que transmitem a mensagem são ordenados por Deus a não se comportarem mal, independente da provocação.  Deus diz para não insultar, não responder e, além disso, nos é dito que nos afastemos dos ignorantes.  O profeta Muhammad fez exatamente o que lhe foi ordenado - transmitir a mensagem e suportar pacientemente o escárnio, perdoá-los e se afastar dos ignorantes.

"Se os convocardes para a Orientação, não vos ouvirão; e tu (ó Mensageiro) verás que olham para ti, embora não te vejam.  Conserva-te indulgente, encomenda o bem e foge dos insipientes." (Alcorão 7:198-199)

"Tolera, pois (ó Mensageiro), o que dizem os incrédulos..." (Alcorão 20:130)

A paciência do profeta ao transmitir a mensagem era interminável.  Nunca se cansava de falar às pessoas, muçulmanas e não muçulmanas, sobre a religião do Islã.  Sua sinceridade era óbvia e ele nunca se engajou em argumentos ou debates inúteis destinados ao desastre.  Tratava bem as pessoas, com gentileza e compaixão, fazia vista grossa para suas falhas e mau comportamento e, quando tudo falhava, se afastava.  Violência, raiva e grosseria nunca foram parte do seu método, nem eram parte do seu caráter.  Mostrava paciência em face de adversidade e gentileza diante de tratamento ríspido.  



Notas de rodapé:

[1] Saheeh Ibn Hibban.  Para mais informação veja (http://islamicencyclopedia.org/public/index/topicDetail/id/390#Doctrines-of-Ibn-Hibban

[2] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Mais visualizados

Diariamente
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Total
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version