Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

あなたが要求した記事/ビデオはまだ存在していません。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Статьи / видео вы запросили еще не существует.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

Como nós, como muçulmanos, celebramos Cristo (parte 2 de 2)

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Jesus tem um lugar especial nos corações dos muçulmanos.  Parte 2:  Acreditar no Evangelho revelado a Jesus é um aspecto essencial da fé islâmica e por que a Cristandade, apesar de não acreditar em Muhammad, pode respeitá-lo.

  • Por Zayn al-Din al-Rikabi (editado porIslamReligion.com)
  • Publicado em 16 Jan 2017
  • Última modificação em 16 Jan 2017
  • Impresso: 2
  • Visualizado: 1488 (média diária: 3)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 1

HowWeasMuslimsCelebrateChrist2.jpgNossa crença no Evangelho de Jesus é um princípio de fé para os muçulmanos, assim como é parte da crença islâmica nas escrituras - um dos seis pilares essenciais da fé islâmica.  Deus diz no Alcorão:

" O Mensageiro crê no que foi revelado por seu Senhor e todos os fiéis creem em Deus, em Seus anjos, em Seus Livros e em Seus mensageiros. Nós não fazemos distinção entre os Seus mensageiros." (Alcorão 2:285)

Isso significa que a crença de um muçulmano no Alcorão não é válida, a menos que também acredite no Evangelho que foi revelado a Jesus (que a paz esteja sobre ele).[1] Por que? Porque o Alcorão veio confirmando o Evangelho e também a Torá.

Deus diz: "Ele te revelou (ó Muhammad) o Livro (paulatinamente) com a verdade corroborante dos anteriores, assim como havia revelado a Tora e Evangelho." (Alcorão 3:3)

Outra razão por que nossa fé no livro revelado para Jesus (que a paz esteja sobre ele) é essencial, é ser exigido que nós muçulmanos acreditemos em todas as escrituras que Deus revelou.  Deus nos ordena: "Dize: Creio em todos os Livros que Deus revelou!" (Alcorão 42:15)

Perguntamos: Existe outro grupo religioso na Terra, fora da Cristandade, que honre e celebre o Evangelho como um aspecto essencial de sua fé além dos muçulmanos?

Essa celebração de Jesus Cristo (que a paz esteja sobre ele) - inclusive sua concepção, nascimento, milagres, escritura e mensagem - não é meramente uma ideia, mas uma realidade vivida pelos muçulmanos, injetada todos os dias nas práticas mais essenciais de nossa fé e adoração.  Quando um muçulmano recita o Alcorão - e especialmente os capítulos intitulados "Maria", "A Família de Imran" e "A Mesa Servida" (que se refere à ceia que Jesus - que a paz esteja sobre ele - teve com os discípulos) - isso implica recitar os ensinamentos sobre Cristo como uma forma de adoração.  Os versículos que honram e louvam Cristo também são recitados em nossas orações diárias.  A crença em Cristo é parte das crenças islâmicas essenciais que todo muçulmano aprende desde a tenra infância. 

Tudo isso deve nos encorajar, muçulmanos e cristãos, a redobrar nossos esforços de compreensão mútua.  O equívoco de muitos cristãos em todo o mundo de que os muçulmanos são hostis a Jesus (que a paz esteja sobre ele) ou o negam, não conduz a uma atmosfera de compreensão. Sem falar no desconhecimento de que nós muçulmanos reverenciamos Cristo e o amamos do fundo de nossos corações.  O desconhecimento cristão em relação às nossas crenças verdadeiras não é somente um erro em conhecimento, mas um obstáculo à compreensão entre nossas duas crenças, necessária para promover a tolerância e dissipar a intolerância.

Se os cristãos compreendessem as nossas verdadeiras crenças sobre Jesus Cristo (que a paz esteja sobre ele), isso os levaria a respeitar o profeta do Islã, mesmo que não chegassem ao ponto de acreditarem que Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, seja de fato um profeta.  Estamos falando aqui sobre respeito humano básico como exigido pelo que dita a razão e a ética, um respeito que impede a possibilidade de calúnia e abuso.

Pense a respeito... Se alguma corporação americana ou europeia se unisse e mobilizasse recursos humanos e financeiros com o propósito de "conhecer Jesus", retratando Jesus (que a paz esteja sobre ele) da maneira mais bela possível como um serviço completamente gratuito ao público, como os cristãos se sentiriam em relação a esse esforço e como o descreveriam? Certamente o considerariam um empreendimento nobre e positivo. 

Esse esforço corporativo descrito acima é um cenário imaginário, mas existe uma realidade que o ultrapassa de longe.  Estamos falando sobre algo que tem ensinado pessoas sobre Cristo (que a paz esteja sobre ele) nos termos mais nobres e sublimes, ensinado pessoas a acreditarem nele, honrá-lo e amá-lo.  Essa realidade é que Muhammad, o profeta do Islã, veio com um livro que celebra e honra Jesus Cristo (que a paz esteja com você), um livro que todos os muçulmanos dos últimos 1.400 anos e os mais de 1 bilhão de muçulmanos de todo o mundo hoje aceitam como a palavra infalível de Deus.  Esse programa "conheça Cristo" não foi um esforço de curto prazo.  Tem sido constante em seu sucesso desde o século seis até os dias atuais. 

O que, então, um cristão atento deve sentir sobre o profeta que ensinou literalmente bilhões de pessoas em todo mundo a acreditar, amar e honrar Cristo? No mínimo essa pessoa deveria sentir respeito por esse profeta que amou tanto a Cristo e ensinou seus seguidores a fazer o mesmo, uma vez que é natural ter respeito por alguém que reverencia algo que se tem em alta estima.



Notas de rodapé:

[1] Os muçulmanos acreditam que a Bíblia atual foi adulterada ao longo do tempo.

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas
Comentários de Usuário Visualizar comentários

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version