L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

A Criação de uma Consciência Ambiental (parte 2 de 4): Homem - Gerente de Deus sobre a Terra

Classificação:

Descrição: O homem, carregando o fardo da responsabilidade moral, é responsável pela utilização dos recursos da terra com a devida consideração - recursos que Deus sujeitou a todas as suas necessidades.

  • Por AbdurRahman Mahdi (© 2011 IslamReligion.com)
  • Publicado em 22 Aug 2011
  • Última modificação em 22 Aug 2011
  • Impresso: 125
  • Visualizado: 4234 (média diária: 2)
  • Classificação: 0 de 5
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

“(Recorda-te ó Profeta) de quando teu Senhor disse aos anjos: Vou instituir um legatário (califa) na terra! Perguntaram-Lhe: Estabelecerás nela quem ali fará corrupção, derramando sangue, enquanto nós celebramos Teus louvores, glorificando-Te? Disse (o Senhor): Eu sei o que vós ignorais.” (Alcorão 2:30)

A humanidade, através do pai, Adão, foi enviada a terra como seu califa - um termo que simultaneamente significa: sucessor, gerente, curador, vice-rei e guardião.  Ou seja, o homem foi tornado responsável pela utilização dos recursos da terá com a devida consideração, recursos que Deus sujeitou a todas as suas necessidades.

“Deus foi Quem criou os céus e a terra e é Quem envia a água do céu, com a qual produz os frutos para o vosso sustento! Submeteu, para vós, os navios que, com a Sua anuência, singram os mares, e submeteu, para vós, os rios. Submeteu, para vós, o sol e a luz, que seguem os seus cursos; submeteu para vós, a noite e o dia.” (Alcorão 14:32-33)

“Porventura, não reparais em que Deus vos submeteu tudo quanto há nos céus e na terra, e vos cumulou com as Suas mercês, cognoscíveis e incognoscíveis? Sem dúvida, entre os humanos, há os que disputam nesciamente acerca de Deus, sem orientação ou Livro lúcido algum.” (Alcorão 31:20)

Portanto, a terra foi criada com causa e efeito definidos: facilitar os humanos no cumprimento do propósito com o qual eles próprios foram criados, adorar e servir seu Criador.

“Não criei os gênios e os humanos, senão para Me adorarem.” (Alcorão 51:56)

Embora a criação dos céus e da terra seja de fato maior que a criação da humanidade aos olhos de Deus [ver Alcorão 40:57], os humanos têm a responsabilidade que os céus e a terra não têm.  De fato, Deus ofereceu confiar aos céus e a terra responsabilidade moral.  Entretanto, eles entenderam o peso do que lhes estava sendo pedido e respeitosamente declinaram.  Adão, entretanto, aceitou carregar a responsabilidade moral em nome da humanidade.  Qual!  Ao contrário de seu pai, muitos dos descendentes de Adão foram e são irresponsáveis, incompetentes e não estão dispostos a permanecerem fiéis às suas obrigações.

“Por certo que apresentamos a custódia aos céus , à terra e às montanhas, que se negaram e temeram recebê-la; porém, o homem se encarregou disso, mas provou ser injusto e insipiente.” (Alcorão 33:72)

Quando o homem desempenha sua obrigação de forma responsável através da obediência e adoração a Deus de acordo com sua natureza primordial, obtém a satisfação e recompensa de Deus; quando não o faz, precisa de Seu perdão.  Consequentemente, a única razão para uma pessoa sucumbir aos desejos falsos e opressivos é porque aquela pessoa se permitiu ser desencaminhada de sua natureza, se desviando do caminho reto para uma estrada tortuosa tomada pelo inimigo de Deus e do homem: Satanás.

“Ele (Satanás) disse: E continuou: Atenta para este, que preferiste a mim! Juro que se me tolerares até o Dia da Ressurreição, salvo uns poucos, apossar-me-ei da sua descendência!” (Alcorão 17:62)

“Que Deus amaldiçoou. Ele (Satanás) disse: Juro que me apoderarei de uma parte determinada dos Teus servos, a qual desviarei, fazendo-lhes falsas promessas. Ordenar-lhes-ei cercear as orelhas do gado e os incitarei a desfigurar a criação de Deus! Porém, quem tomar Satanás por protetor, em vez de Deus, Ter-se-á perdido manifestamente, Porquanto (ele) lhes promete e os ilude; entretanto, as promessas de Satanás só causam decepções.” (Alcorão 4:118-120)

Assim, após aprender a realidade mais importante sobre o ambiente natural e nosso lugar nele, que além da humanidade (e os gênios), toda a criação, animada e inanimada, é inerentemente obediente a Deus está em harmonia consigo mesma, também aprendemos como o homem pode recuperar seu estado natural inocente: servindo e obedecendo a Deus.  E dos muitos atos grandes e louváveis de obediência é nos comportarmos de forma responsável com o mundo ao nosso redor.  Um mundo que, para o propósito desse discurso, pode ser dividido em dois domínios de princípios ou recursos: os súditos do reino animal e seus habitats naturais.

“Deus foi Quem vos submeteu o mar para que, com o Seu beneplácito, o singrassem os navios e para que procurásseis algo de Sua bondade, a fim de que Lhe agradecêsseis.  E vos submeteu tudo quanto existe nos céus e na terra, pois tudo d’Ele emana. Em verdade, nisto há sinais para os que meditam.” (Alcorão 45:12-13)

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

  • (Não é mostrado ao público)

  • Please enter below word

Seu comentário será analisado e publicado dentro de 24 horas.

Campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version