您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

您所请求的文章/视频尚不存在。

The article/video you have requested doesn't exist yet.

L'articolo / video che hai richiesto non esiste ancora.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

요청한 문서 / 비디오는 아직 존재하지 않습니다.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

המאמר / הסרטון שביקשת אינו קיים עדיין.

The article/video you have requested doesn't exist yet.

O que leva as pessoas a se converterem ao Islã (parte 1 de 2)

Classificação:
Tamanho da fonte:

Descrição: Os vários aspectos do Islã que levam as pessoas a se converterem, apesar de sua retratação negativa na mídia.

  • Por Baseado em um artigo em iqrasense.com
  • Publicado em 14 Sep 2015
  • Última modificação em 08 Aug 2016
  • Impresso: 14
  • Visualizado: 3482 (média diária: 4)
  • Classificação: sem comentários
  • Classificado por: 0
  • Enviado por email: 0
  • Comentado em: 0

A natureza da fé religiosa é muito misteriosa.  Como parte de suas crenças religiosas as pessoas acreditam em uma variedade de deidades.  Existem pessoas que acreditam no poder supremo inimitável e oculto e outras que acreditam em alguns humanos ou animais (por exemplo, macacos) como deuses, no fogo, em ídolos feitos de pedra e a lista continua.

Muito é associado com ter "fé".  Parte disso tem a ver com crenças passadas por gerações.  As identidades das pessoas estão, portanto, atreladas a isso.  Muitas vezes essas crenças e os sentimentos associados a elas não são completamente demonstráveis pela razão ou quaisquer argumentos racionais.  Não há nada certo ou errado nisso, mas foi dessa forma que a natureza da crença religiosa passou a ser.

Quase todo mundo pensa que está certo em sua fé e crenças.  Estar com pessoas ou grupos com fé semelhante fortalece mais a fé das pessoas e elas a veem como correta, mesmo que raciocínio lógico e argumento às vezes não possam explicá-la.  É simplesmente psicologia humana.

 Os argumentos do Islã com base no raciocínio intelectual

Os muçulmanos acreditam, entretanto, que a religião islâmica é diferente nesse contexto.  Pode-se argumentar que assim como outras crenças, existem aspectos dela que não são completamente demonstráveis pela razão. Por outro lado, o texto corânico, que é a palavra de Deus abordando a humanidade como um todo, usa raciocínio intelectual, pensamento crítico e o processo de reflexão como meios não só de reforçar a fé dos crentes, mas também de chamar os não crentes a ponderar sobre a autenticidade do Islã como modo de vida para toda a humanidade.  Embora nenhuma crença religiosa seja plenamente baseada na lógica e no raciocínio, o Islã e o Alcorão fornecem exemplos mais que suficientes e uma oportunidade de examinar a verdade e solidez de sua mensagem através das lentes da evidência empírica e do conhecimento.

Ninguém (muçulmano ou não) argumentaria que pensamento crítico e reflexão podem ser um catalisadores fundamentais para uma mudança de vida.  O pensamento crítico tem sido usado por muitos para aprimorar suas vidas simplesmente porque um pensador crítico faz perguntas investigativas sobre uma situação, coleta o máximo de informação possível, reflete sobre ideias coletadas e geradas no contexto das informação disponível, mantém uma mente aberta e imparcial e cuidadosamente escrutina suposições e busca alternativas.  

Essa é a razão, portanto, que os novos convertidos muçulmanos atribuírem o uso do raciocínio inteligente, de reflexão e pensamento crítico ao explicar sua jornada para o Islã.  Essas pessoas atravessam a histeria criada na mídia para ver o Islã a partir de lentes críticas e seguir a verdade decorre de forma natural para elas, como parte desse processo.  De que outra forma se pode explicar o aumento nas conversões com o aumento da retórica anti-islâmica? De que outra maneira se explica que mais pregadores não muçulmanos estejam se convertendo ao Islã do que antes? Embora, como muçulmanos, acreditemos que a orientação vem somente de Allah, o uso do raciocínio intelectual dado por Deus tem um papel muito poderoso a desempenhar na decisão dos muçulmanos convertidos.  E uma vez convertidos, raramente retornam às suas crenças antigas, simplesmente porque uma fé cujas bases estão apoiadas em lógica e razão é menos propensa a ser abalada do que uma que se apoia simplesmente em um conjunto de rituais e sacramentos.

  Razões atribuídas pelos novos convertidos

Algumas das razões dadas pelas pessoas que se convertem ao Islã são a eloquência da linguagem do Alcorão, sua esmagadora evidência e provas científicas, argumentos enraizados no raciocínio intelectual e a sabedoria divina por trás de várias questões sociais.   A singularidade e beleza do texto do Alcorão maravilhou os melhores linguistas e estudiosos árabes, muçulmanos ou não, dos dias em que foi revelado até hoje.  Quanto maior o conhecimento do idioma, mais apreciam as maravilhas da fluência textual do Alcorão.    Revelado há mais de 1.400 anos, o Alcorão tem numerosos fatos científicos que estão sendo validados pela ciência somente nessa era.    Além disso, é o único texto religioso conhecido que desafia a humanidade a pensar, refletir e ponderar sobre a criação, questões sociais, a existência de Deus e mais.  O Alcorão desafia as pessoas a refletirem e pensarem por conta própria em muitas passagens, ao invés de ouvirem a conversa mole daqueles cujo criticismo não tem embasamento.    Finalmente, o Alcorão fornece solução para várias questões sociais, cujos desvios são conhecidos por causar caos social em todos os níveis. 

O Alcorão é uma asserção confiante de um Ser Supremo. O único livro religioso que tem uma asserção confiante de um Ser Supremo em todos os assuntos que vão desde a criação do universo aos componentes mais particulares do meio social.   Além do mais, seu texto divino - a linguagem e prosa do Alcorão - é muito diferente da linguagem dos ditos do profeta, o que demonstra que o Alcorão não vem da imaginação criativa ou de palavras inspiradas do profeta Muhammad, como muitos céticos alegaram no passado e continuam a fazê-lo mesmo hoje. 

Podemos ver que a maioria dessas razões só pode ser atribuída ao processo de pensamento crítico e reflexão intelectual.   Entretanto, raciocínio frio não é suficiente.   O coração tem que estar engajado na busca: uma busca cujo objetivo é alcançar a verdade em seu âmago.   Não é de admirar, então, que quando pessoas sinceras ouvem o Alcorão pela primeira vez e o compreendem, dizem:

"É a verdade, emanada do nosso Senhor. Em verdade, já éramos muçulmanos, antes disso." (Alcorão 28:53)

  

Partes deste Artigo

Visualizar todas as partes juntas

Adicione um comentário

Outros Artigos na Mesma Categoria

Mais visualizados

DAILY
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
TOTAL
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Favorito del editor

Listar Artigos

Desde sua última visita
Esta lista no momento está vazia.
Todos por data
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Mais Populares

Melhores classificados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais enviados por email
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais impressos
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
Mais comentados
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)
(Leia mais...)

Seus Favoritos

Sua lista de favoritos está vazia.  Você pode adicionar artigos a esta lista usando as ferramentas do artigo.

Sua História

Sua história está vazia.

View Desktop Version